Opinitivo e Pessoal

Uma vida tão curta e tão destroçada


Nestas festas juninas de 2016, no sábado, ao raiar do dia, um parente de minha esposa chegou e pediu um café; apresentou um menino que estava com ele, e disse, que era um amigo que havia conhecido nos festejos. Disse que o rapaz estava querendo tomar banho e indagou, se era possível ele usar o banheiro para se banhar. Quando o menino tirou a camisa observei muitas cicatrizes no corpo. Eram muitas, o que me fez perguntar-lhe quantos tiros havia levado. Ele disse que não as cicatrizes não eram de tiros, e sim, que haviam lhe aplicado 24 a 26 golpes de facas e que, por um “milagre de Deus” estava vivo. Enquanto ele foi tomar banho, fiz o café, fritei meia dúzia de ovos, fiz o cuscuz e servir à mesa. Eles comeram! Dormiram. Um no sofá, ele num colchão que colocamos na copa, exatamente para estas ocasiões.

Deste primeiro dia em que foi trazido para minha casa, permaneceu “hospede” até a segunda-feira pós festejos juninos. Então, lhe disse que deveria ir para casa dele, uma vez que as festas haviam terminado. Neste interim, soubemos da sua história por completo.

  • Fora entregue a traficantes como pagamento de dívidas;
  • Fora instruído a roubar, usar armas, entregar drogas, vender;
  • Deram-lhe um ponto e fizeram com que traficasse;
  • Um dos clientes que lhe devia, ao sentir-se constrangido por insistentes cobranças tentou mata-lo.
  • Este cliente foi quem lhe esfaqueou;
  • Foi levado ao hospital;
  • Ficou internado, foi medicado e voltaram-no da morte;
  • Foi levado para a prisão Infanto-juvenil em Salvador;
  • Permaneceu preso por 45 dias;
  • Segundo, nos disse, respondeu ao juiz que sua profissão era roubar, traficar e atirar;
  • Foi dado como caso perdido;
  • Foi orientado a mentir ao juiz dizendo: sou estudante e vítima da sociedade;
  • Foi liberado e mandado para casa;
  • Oito dias depois de ter contado sua vida para nós todos, pediu dinheiro e voltou para Central, a sua cidade;
  • Nunca mais soubemos notícias dele e hoje, 19 de agosto, Bruno entrou na sala e disse: Tia, mataram “Deus é mais!” – Ele foi apelidado de “Deus é mais” por sempre usar a expressão.
  • A notícia está estampada nos principais meios de comunicação de Irecê:
  • Adolescente de 15 anos é encontrado morto com três tiros na cabeça.

Lamento uma vida tão jovem ter uma triste história como esta.

Sem mais, para o momento!

Adeus Luciano, adeus!


Figura 1: Quando estava aqui em casa em junho, estava com esta camisa!

Foi embora desta vida, após, ter sofrido tanto.

Uma vida tão curta e tão destroçada.  

5 comentários em “Uma vida tão curta e tão destroçada

  1. Pois é Adão, uma coisa que cada vez mais se repete. Jovens ceifados pela industria do crime alimentada pelas drogas.O caso de Luciano é numero nas estatísticas, que parece não incomodar os governantes e a sociedade, pois pouco se faz para tirar estes jovens da criminalidade e ou mesmo não deixar que caiam nesta vida, pois bem sabemos é um caminho que muitas não lhes dão chance de sair, só com a morte. Muito triste para voces que conviveram com ele e assim pensaram um mundo melhor para ele.
    Uma boa semana amigo e que Deus nos proteja.

    1. Ele estava contente com a nova vida que se apresentava para ele.

      Disse que o juiz lá da cidade estava com ele no fórum, para reeducação e reinserção na sociedade.

      Veio aqui em casa mais uma vez. Ficou mais uns três dias. E agora, a notícia de que fora assassinado.

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s