Opinitivo e Pessoal

O desfecho inesperado


Ela andava triste, como uma esfinge tropical do sertão baiano. O moço que a cercava em constante carinho, atenção, rosas, serenatas ao luar, regadas a chocolates branco, amendoados, sonhos de valsas, alegria, humor, aparência, cortesias, … nada parecia decifra-la.

Ele não sabia mais o que fazer para que fosse grande o suficiente para fazer aquela mulher ser a sua lua a orbitar em torno de sua gravidade.

Numa tarde fria de um agosto estranho descobriu que ela amava alguém. Não era ele, mas, seu amigo e vizinho. Desistiu das insistentes tentativas de cativar aquele coração, aquela alma, aquela pessoa, aquele ser.

A mãe do jovem ao passar pela porta do seu quarto encontrou afixada na porta a frase: Não é por que você ama que o final feliz está garantido.

8 comentários em “O desfecho inesperado

    1. Já estive lá. Gostei não! Prefiro os blogs. Aqui posso escrever uma linha, 10 linhas, 1 folha, 10 folhas. E, o prazer maior é o meu em escrever. Se alguém sentir o prazer em ler, tanto quanto sentir em escrever, é maravilhoso.

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s