Opinitivo e Pessoal

Interrompidos, talvez para sempre!


Certo domingo recente ocorreu um encontro de família inusitado. Pela primeira vez, depois de muitas décadas os dois amigos octogenários cada qual acompanhado de seus filhos se encontraram na caminhada matinal. Ai, nesta encruzilhada da vida, a caminhada tornou-se elemento irrelevante ante a oportunidade.

Depois dos abraços e tapinhas nas costas, e das frases clichês do tipo: “faz quanto tempo”, “você não mudou nada”, “você continua o mesmo”, … vieram também as perguntas clichês destes encontros: “por onde andou?”, “o que fez da vida”, … por ai.

Fato é, que o encontro era a novidade do dia, e ali, não se iludiam com a possibilidade de tal evento ocorrer futuramente, afinal, os dois amigos octogenários, tinham respectivamente filhos sexagenários, sendo que, estes tinham filhos e filhas na faixa etária de 40 a 50 anos de idade. Para eles uma benção terem vivido tantos anos, a ponto de terem todos os filhos vivos, sem complicações nos mais diversos aspectos da hodiernidade. Sem esquecer que o ciclo biológico de todos ali, lhes garantiam pouco futuro: envelhecer mais e morrer logo.

A conversa foi mais longa do que o tempo da caminhada, e, não viram vantagens em caminhar e conversar. Seria mais gostoso e mais saudável a conversa do que a caminhada. E assim fizeram. Em certo ponto ali estava a conversa que nunca tiveram antes: as alterações ocorridas no mundo.

– Não! Não! O mundo não mudou não! Quem mudou foram as pessoas!

– É! – Continuou o outro – Mudou muito mesmo. Os costumes de hoje são outros e piores! Eu tolero os costumes dos meus netos, mas, não concordo com eles não!

– Imagine você que meu neto disse que vai casar, e os pais, nem sabem quem é a família da moça! Depois o casamento acaba, e fica ai, estes jovens pensando que casar é coisa ruim.

– Ah! – exclamou em concordância – É que os valores desta modernidade hoje são outros. Quando fui namorar, tanto a família minha, quanto a família dela, já atalharam nossos desejos já dizendo que se não fosse para casar, se não fosse para casar e viver, que se não fosse para ter família, que nós ficasse cada um no seu canto.

– Antes de noivar com Maria Regina numa reunião de família a mãe dela garantiu que ela seria boa esposa, que saberia cuidar da família. Era um tempo em que tanto ela quanto eu, deveríamos ter a noção de família, e não este egoísmo que impera a sociedade, em que, se exige que se saiba cuidar um do outro, que se seja capaz de suprir os desejos um do outro…

– Eu me lembro do seu noivado! Eu que casei com a prima dela, também tive a sorte de casar com uma pessoa que também foi educada assim. Hoje não! Os jovens só pensam em si…

– Hoje a coisa anda tão esquisita que tanto os meninos, e pior, até as meninas vivem neste mundo amoral, como normal. Ah! Que saudade quando as mulheres reclamavam quando atrasávamos para o almoço, e nos xingavam quando chegávamos cedo e a mesa não estava posta.

– Ah! Que saudade das mulheres que sabiam orar o pai nosso, a Salve Rainha e deixavam a roupa pronta sobre a cama para irmos à missa, e tínhamos que ir, e ficar calado lá nos bancos da santa igreja.

E passariam o dia inteiro neste saudosismo “machista” ou familiar, como queiram.

– Papai! Já passou das dez! O sol tá quente, e a sombra tá acabando. O outro filho emendou com um – Vamos pra casa meu pai! E enquanto os velhos amigos tinham muito a falar, os sexagenários nada disseram.

E assim terminou o encontro raro, e talvez último daqueles amigos!

5 comentários em “Interrompidos, talvez para sempre!

  1. Oi, Adão!
    Não acho que o passado tenha sido melhor. Na verdade, esses amigos sentem saudades deles mesmos quando jovens. As nossas melhores lembranças são de tempos que achávamos que eramos mais felizes.
    Os velhos amigos tinham muito a falar. Os sexagenários não?
    Beijus,

    1. O que ocorre Luma é que há amigos antigos que os filhos, e até primos, não tenham nada para falar deles, de aventuras. Que ainda que os pais tenham sido próximos, tenha muito a conversar, outros, ainda que na mesma faixa etária, não tem união ou relações.

    1. Toninho, tenho tentado comentar em teu blog, mas, dá mensagem de erro, e não vejo o comentário depois.

      Como formatei o PC hoje, e removi o Windows 8.1 e estou usando o 7, vou usar outros navegadores para testar.

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s