Opinitivo e Pessoal

As igualdades, as liberdades, os preconceitos entre mulheres e homens


Depois que se encontraram uma primeira vez, tornou-se quase que hábito os velhos amigos se encontrarem debaixo do sombreiro do Bar do Marrão. Sempre tomavam um trago de cachaça, e, nem sempre acontecia a tal caminhada. Ambos eram culpados.

Naquela tarde três jovens mulheres estavam numa mesa mais ao norte. Na extremidade oposta uma mesa só de homenzarrões, e aquele, especialista em observar e comentar das mazelas e das proezas humanas puxou o assunto sobre o tema observado: as igualdades, as liberdades, e os preconceitos entre homens e mulheres. Houve primeiro uma aposta entre ambos: quem perdesse pagaria os R$ 0,50 da dose de cachaça do outro. E, a questão era, se havia ou não equilíbrio, coerência e razoabilidade entre o que as mulheres diriam, e o que os homens pensavam. E lá foi ele se imiscuir entre eles.

Desajeitado e tentando puxar a pança para dentro aproximou da mesa das mulheres, e sem perguntar, se podia, se era permitido, se aceitavam ou não, puxou a cadeira de bar, e sentou-se. Elas fizeram silêncio até responderem quase em uníssono: boa tarde!

– Moças, é o seguinte, me diz o que vocês querem, pensam e pretendem estar num ambiente que até recentemente era visto como ambiente mal visto, e evitado por 10 de cada 10 mulheres? – Antes de responderem todas riram! O riso, percebeu ele – segundo o que interpretou, havia três diferentes tons: cinismo, algazarra, e desdém.

– É que agora – disse a mais altiva e que demonstrava liderar o grupo – nós temos liberdade, e a sociedade reconhece que nós somos iguais aos homens.

– Hum! As liberdades eu sou testemunha! Há leis que garante nossas liberdades individuais, coletivas, sociais, culturais e políticas. Mas, esse negócio de igualdade, é uma furada! Por que vocês se querem tão iguais aos homens? E, o que é há de tão interessante nos homens que vocês querem ser iguais?

– E, por que os homens podem e nós não?

– É, mas isto! – falou pausadamente – esse negócio de vocês quererem poder ser igual ao homem é em relação à igualdade ou à liberdade? É assim – quis explicar melhor – os homens fazem por que são livres, ou, por que podem fazer certos atos sem restrições? Homem dirige, mulher também, homem viaja, mulher também, homem vota, mulher também, homem… bem! Resumindo, quase tudo, já somos iguais, o que mais falta?

– Ah! Agora é tudo igual! Se o homem pode! Nós podemos. – A outro interrompeu e emendou, como canta uma banda de forró “Eu tenho meu carro, e a minha faculdade quem paga sou eu” – imediatamente a outra completou: – pago o consórcio, pago minhas contas, e não dependo de homem nenhum! Eu sou livre! Eu sou igual a qualquer homem!

Ele suspirou e disse:

– Entendi o conceito de liberdade e igualdade de vocês! – Interrompeu a visita à mesa delas e foi em direção à mesa dos rapazes, e do mesmo jeito e maneira agiu. Sentou-se e puxou conversa. Quis saber a opinião dos homens ali sentados.

– O que vocês acham daquelas mulheres aqui no bar tomando uma cerveja, comendo um petisco, e ouvindo as mesmas músicas, e aquelas lá jogando dominó?

– Rapaz! Não sei o que elas querem provar! Vemos daqui, que ela, parecem querer competir com a gente aqui na mesa. Se pedimos uma cerveja elas também pedem; se viramos um copo da “branquinha” elas querem fazer igual. Mas, é muito feio, se uma delas sair daqui sendo carregada pelas amigas.

– As mulheres, por mais, por mais igualitária que seja uma sociedade, elas ainda continuam como papel pega moscas, tudo que encostam nelas grudam, e os homens são como teflon, antiaderente. – Comentou outro.

Outro moço, mais quieto disse:

– Eu não quero uma mulher dessas para minha companheira, pois, depois, no relacionamento, ela pode argumentar: você me encontrou no bar, não foi? – Ou seja, pode ser um problema futuro em qualquer discursão.

– Mas, vocês acham que as mulheres podem ser iguais aos homens? E, podem ser livres para fazer o que quiser?

– Cara! É o seguinte, iguais aos homens ou igual ao homem, nunca serão! É impossível. Nem com troca de sexo se torna igual a um homem. Esse negócio de igualdade é muito inatingível. Nem os homens são iguais entre si, como é que mulher será igual a homem?

O moço de cabelo penteado para trás comentou dizendo: Olha! Isso que você disse ai, não é nem profundo, não faz parte do sentido que existe na questão de igualdade não! Eu acho que o que elas querem de igualdade, não é bem igualdade, é só … – como é que digo isto? É… é.. é.. Poxa não encontro uma palavra! …Elas só querem exercer o direito de ir e de vir! É isto!

– Se fosse só isto, já existe nas leis!

– Ter nas leis é uma coisa! Ter o direito reconhecido é outro.

– Veja vocês! Que elas estão aqui no bar, bebendo, comendo, jogando, se divertindo, mas, mesmo assim existem mais cobranças sobre elas, do que sobre nós.

– Obrigado! Levantou-se foi ao amigo! Disse-lhe: cada qual paga sua cachaça, por que nem eu nem você! Esse negócio de igualdade, liberdade e preconceitos sobre homem e mulher, parece-me, – não é conclusivo! – é conversa que nunca se acaba, e nunca se chega a lugar algum.

5 comentários em “As igualdades, as liberdades, os preconceitos entre mulheres e homens

  1. Muito boa esta rodada de cerveja com filosofia de boteco, para uma reflexão sobre a questão homem x mulher, o personagem deveria discutir a velha historia do ovo e da galinha.
    Interessante como é difícil a definição de igualdade e liberdade e quando se leva para a esta relação fica ainda mais complicada. Na realidade o que se busca é um respeito no direito de viver e ser. Para isso ser igual a todos teria que quebrar uma série de tabus e paradigmas, que ao longo da historia se fizeram como verdades lacradas.
    Uma bela postagem.
    Abraço.

  2. A Luma ali está certa. Mas eu não vejo os salários não sendo iguais. Estou do lado das mulheres, claro. O que eu vejo são benefícios para o sexo oposto. Aí é outra conversa (se estamos falando de cargo-emprego-etc). Funcionários públicos estão em par de igualdade, por exemplo (mesmo salário). E essa coisa de igualdade ainda está longe de ser alcançada. Vai além das leis, está intricado na mente das pessoas. A questão da igualdade não atinge só emprego e direito de ir a vir à barzinhos, está relacionada à quebra das amarras de uma sociedade machista. Enfim, vou encerrar, senão vou falar de questões feministas. ^^

  3. Há, houve e haverá sempre preconceitos em tudo que é diferente.

    Como não há 2 pessoas iguais, logo também a discriminação existirá.

    Um caso da vida, fruto de educação e meio cultural.

    Beijos

  4. Oi, Adão!
    A igualdade só será estabelecida quando os salários forem iguais.
    Alguns homens não bebem, outros bebem como moça… Tem homem que não frequenta boteco. Tem homem que cai bêbado na rua. Quanto à bebida, a mulher leva uma vantagem. Com menos bebida fica bêbada e isso quer dizer: Conta do boteco menor…😀
    Beijus,

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s