Opinitivo e Pessoal

“Ele é muito família, sempre critiquei isto nele!”


Volta e meia aqui em casa há certos debates sobre os mais variados temas. Alguns temas se repetem com personagens diferentes, argumentos diferentes. O último debate foi outra vez sobre minha relação com o mundo, as pessoas, e os valores que carrego. Uma pessoa me trouxe, sem nenhuma novidade para mim, informações de que, recentemente, fui taxado de ser “burro”. A justificativa para a qualificação foi o fato de eu, podendo dominar o mercado de prestação de serviços em Irecê, e parte da região, me contento em atender “uns poucos” clientes, e pior – na opinião dos que debatiam minha vida – penso que aqui há espaço para nós todos.

Já disse e reafirmo: sou um homem limitado, e cercado de conceitos morais, éticos, espirituais. Sou apocalíptico, cataclísmico, legalista, pessimista, e pedaços de egoísmo, lealdade, integridade, fidelidade, entre outras qualidades, defeitos, substantivos e adjetivos. Minha relação com o dinheiro é a mais franca possível. Preciso de dinheiro para o dia-a-dia, mas, não tenho que submeter-me a uma jornada extra, exaustiva para conseguir mais e mais. Necessito diária, semanal e mensalmente de certa quantidade de dinheiro para pagar as contas, alimentar e sustentar a família. Tenho a carência de uma quantidade de dinheiro que seja capaz de arcar com as três áreas de minha vida: sustento, descanso e lazer.

Soube, que na referida conversa, em que minha vida era o alvo, que fui duramente criticado por não ser rico! Que vou atender as empresas eu mesmo e até gosto de atender as empresas, e as pessoas quando poderia estar tranquilo no escritório, pagando salários para um ou dois jovens aprendizes.

Fui criticado por não andar em bares, por não gostar de badalações, de não ir a festas, de não ir nas quadras jogar futsal com os colegas de profissão ou com os colegas das empresas. Fui criticado por ser um homem doméstico, urbano e gostar da diversão que posso ter em casa apenas: na TV (filmes, séries, futebol, documentários, desenhos, e entretenimento diversos), ler revistas VEJA, Playboy, Caras, IstoÉ, Época, Superinteressante, etc (Quando possível ter). Ler livros diversos: aventura, romance, ficção, educativos, religiosos.

Segundo um dos que lá estavam um dos meus defeitos era: “Ele é muito família, sempre critiquei isto nele”. De fato, ele sempre disse isto. É uma pessoa que vê a família como um entrave profissional; vê a família como um empecilho para os homens; que a família, o relacionamento sério e duradouro deve ser evitado. Segundo ele, a vida não precisa do Reproduzir, pois, isto implica em relacionamento, em no mínimo uma despesa mensal chamada de pensão alimentícia.

Eu sei o que me falta. Me falta ambição. Me falta planejamento. Me falta algo que meu pai tentou me ensinar: saber viver uma vida planejada, organizada e projetada. Me falta ambição, não conhecimento de ter empresa, ter conta bancária, depositar, poupar, pagar previdência social, prevê um futuro de um velho que terá que viver às custas dos recursos da previdência social. Me falta organização. Me falta perseverança; me falta tenacidade; me falta planejamento; não conhecimento.

Nos dois últimos anos, tive curso de empreendedorismo; organização empresarial; como alavancar seus negócios; como ser conhecido no mercado de trabalho; como usar o sistema financeiro; como obter crédito com os órgãos financeiros. O modo como vivo não é um super modo. Passo por certas dificuldades, em especial, por ocasião da matricula e material escolar. Mas, tenho, com improviso e auxilio, passado estes anos todos.

Bom! O que foi interessante neste último debate, foi ouvir, e saber o que andam pensando a meu respeito. O intrigante foi a lista de pessoas citadas. Uns eu até tenho uma linha ou duas de amizade, mas, outros, eu nem sei quem são.

  • A vida destas pessoas deve estar vazia, para elas estarem debatendo a minha.
  • A agenda destas pessoas deve estar vazia para estas pessoas estarem debatendo meu modo de viver, agir, e pensar.
  • Estas pessoas nos bares ou em festas não estão tendo a diversão necessária para dedicarem tempo, disposição, argumentos para analisarem a mim.
  • Por fim, há um lado positivo: minha vida é ponto de debate de pessoas que me observam. Pobres criaturas!

6 comentários em ““Ele é muito família, sempre critiquei isto nele!”

  1. Aff! Adão Braga que bafão hein? Não te incomoda saber que as pessoas andam falando de ti, não?

    Quanto a esta reclamação: “Ele é muito família”… quem me dera ter um marido tão família assim!

    O meu, não sabe o que é reunião de pais e mestre, não sabe datas, não sabe o que gosto, nem o que os filhos gostam.

    Não vou fazer de seu blog um balcão de reclamação, mas, te garanto que milhares de mulheres gostariam de ter um marido, muito família.

    1. Não! Não me incomoda! O pior cenário, é ver minha esposa, sentindo as dores, e se incomodando por tal situação. Mas, me lembro de Mário Cardoso que me aconselhou antes de morrer: “Eu gosto de você, mas, tem gente que não gosta, e que fala mal de ti. Não te abatas por isto!”

      Para mim! Pouca importância tem saber se falam bem ou mal de mim. “É como digo sempre: O amor ou ódio que sentes, só ajuda ou prejudica a quem sente!”

  2. Pois é meu amigo. Como se diz lá em Minas: larga a vida de Kelé.
    Eu sempre quando menino, queria saber quem era o tal de Kelé,rsrs.
    Engraçado como a vida da gente às vezes incomoda o alheio.
    Siga teu caminho com seus ensinamentos e seja feliz à sua maneira e basta.
    Um belo fim de semana com paz e alegria no coração.

    1. Bem isto Toninho! Seu eu dedicasse 1 segundo para cada vez que pensasse que alguém esteja falando de mim… ai, eu não vivo! Existem circunstâncias e quando o comentário extrapola o limite do aceitável que então eu reajo com a força, intensidade, e pressão proporcional e necessária.

  3. Desde quando ser família é defeito? Que coisa isso! Sempre tem quem não cuida do seu rabo e vai se meter à besta com palpites furados!Que raiva isso dá.,né? pena! abraço,chica

    1. Viu ai Chica. Achei o comentário lá na pasta dos SPAMS.

      Mas, é bem isto Chica! Eu nem conheço todos os que comentavam de minha vida, mas, a vida deles, bem… é o tipo de vida que não é meu estilo ter.

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s