Opinitivo e Pessoal

Quais os motivos que você não tem Facebook?


Esta semana, em especifico estes dias em que é o feriado de carnaval, eu estou só em casa. Foreve Alone. Não saio. Não tenho lugar para ir. Não tenho visitas para receber. Minha esposa foi para a capital Salvador. Não para passar o carnaval com milhares de outras pessoas lá estão. Está com dona Neuza. Que foi uma senhora que teve a paciência, simpatia, amor, atenção, disponibilidade de aceitar Kátia e Kaio em sua casa ao longo dos anos de tratamento e acompanhamento exigido entre os anos 2007 a 2011.

E, neste carnaval ela estava só, e, chamou Kátia para ficar com ela estes dias de solidão na capital, uma vez que seus filhos, netos, noras e outros mais, todos saíram para outros sertões. Kátia para lá foi. Eu aqui fiquei. E, resolvi abrir o Facebook de Kátia para saber se ela estava publicando alguma coisa lá, ou se, existia algum recado. E, me senti aliviado em não sentir-me tentado em voltar a usar este serviço. Continua a mesma coisa desde que de lá sair.

Aproveito este texto para responder e listar as razões para não ter, e não querer voltar ao Facebook, que foi uma pergunta que um amigo me fez por e-mail: Quais os motivos que você não tem Facebook? Eis abaixo vários motivos.

A repetição do ambiente me incomoda. As imagens, as piadas, os textos, as notícias tudo continuam como deixei em 2011, ou seja, na página inicial de Kátia havia pelo menos sete imagens repetidas, pois, pelo menos sete pessoas acharam engraçadas, bonitas, interessantes a mesma mensagem, e assim, e por isto, ufa! Como cansa ver aquele monte de coisa repetida.

Autoajuda e positivismo: Incrível como o Facebook de certas pessoas é tão somente uma lista de frases, imagens frases de autoajuda. Frases de efeito; frase ocas; frases vazias, pois, algumas pessoas que publicam tais conteúdos no Facebook simplesmente ficam REPUBLICANDO isto como uma forma de dizer que é um tipo de pessoa que ela, no dia-a-dia, sei que não é.
Algumas pelo contrário, vive chorando; outras vivem mendigando um amor velho e mofado, no entanto, está lá no Facebook publicando. Não apenas amigos e conhecidos. Não! Meus parentes, em especial, irmãos e irmãs que usam o Facebook usam estes recursos para multiplicar as milhares de frase desta natureza;

Nossos mortos. Meu pai morreu no último mês de novembro. Morreu oito dias antes de meu filho primogênito fazer dezoito anos. E, ao ver uma mensagem de minha cunhada, lá estava a imagem de meu pai, com uma mensagem de Saudades Eternas. Como se eternos fossemos. Podem dizer que sou chato, murmurador; mas, muitas pessoas que lá publicam coisas de seus mortos, fazem como uma maneira de aplacar consciências culpadas. Sinto falta da presença de meu pai, e de minha sogra; que morreram no mesmo período, com pouco tempo entre a morte dela e a morte dele. Sofremos muito neste período.

Eu tenho respeito por meus parentes e amigos mortos. Sei da importância que é manter a memória e a história destes entes até que nossa geração se passe. E sei, que, a memória de meu pai, por exemplo, irar permanecer até passar a geração de meus filhos, que, foram os que viram, os que conviveram com meu pai. E do que reclamo no Facebook? É que em certos murais é um verdadeiro cemitério; cada mensagem um epitáfio; cada imagem é como ler uma lápide; uma lista enorme de mensagens sobre as pessoas que morreram; e isto, não é algo que me agrada.

Devemos viver e deixar os que morreram descansar, e lembra-los sempre, mas, sem transformar estas constantes saudades incomodar e até deixar claro, que, morta, a pessoa faz-nos um incomodo extra. Algumas pessoas, parece-me, apelam para uma situação inusitada: a dor que elas sentem por seus entes queridos, é maior e superior a todos os outros mortos de todas as famílias juntas. Se lamentam eternamente por suas perdas, como, se nós todos, também já não tivéssemos perdidos pessoas amadas de formas, das mais diferentes, como acidentes, doenças, crimes, imprudências.

Os religiosos. As redes sociais, não apenas o Facebook se tornou uma via para a evangelização e salvação das almas perdidas, neste caso, eu, você, e todas as outras pessoas que não pertencemos à religião da pessoa que publica mensagens que, segundo elas, não nos encherão a paciência, não nos incomodará: pelo contrário, pensam elas que não estão incomodando, estão nos oferecendo a salvação que a religião dela tão generosamente nos concederá se, aceitarmos tais mensagens e para lá dirigirmos fisicamente até o templo.
Sem sombra de dúvidas, algumas mensagens religiosas me deixa perplexo, e me leva a conclusão de Jesus sobre o tema: as pessoas não religiosas, são mais inteligentes do que as pessoas religiosas.

Os críticos políticos. Os publicadores políticos também incomodam. No meu blog, é inevitável não verem que critico Dilma, Lula, o PT e partidos da base alugada, aliás, base aliada.  No Facebook, vi muitas pessoas que votaram em Dilma e que sempre votaram no PT, publicar críticas ao PT e a Dilma e Lula, não por que creiam no que republicou; mas, o fizeram para não parecer, o fizeram por vergonha de ter votado; por ter sustentado o partido desde a década de 80; Pensam que estão enganando!

Outro tipo de críticos políticos é o que só publica textos políticos que favorecem a sua visão política, que é natural e normal, por conseguinte, demonstram antipatia por temas, e logo, para rebater os contrários tem por hábito rotular os demais de direitista, contra a revolução proletariado, ser “contra isto” é ser contra o Brasil, que, assim, não é uma atitude legal e democrática.

Em minha opinião os piores: são os que tem a coragem de criticar os juízes do STF e favorecer os corruptos presos, chamando estes de inocentes, injustiçados, honestos, puros e santos. E, os que, na ânsia de fazer crítica política, fazem generalizações infelizes, em que excluem das pessoas direitos, e atividades, como que, se todos não soubéssemos escolher candidatos, como se todos fossemos manipulados e manipuladores, a ponto de criticar quem vai ao carnaval, associando esta atividade ao ato de votar mal. Ai! Já é demais!

Os contra a mídia. Eu conheço pessoas que são contra a Globo de forma geral. Criticam as novelas; criticam o BBB, criticam a Globo de manipulação nas notícias; criticam os horários; criticam as cenas de sensualismo; mas, só no Facebook. É que, ser contra a Globo, dizer-se contra a manipulação; ser contra as novelas; ser contra o que passa na tela da Globo, em certos grupos, é sinônimo de ser safo, é sinônimo de ser inteligente, mente aberta, ser livre, tem cultura, não é massificado, não é alienado. Mas, são pessoas que sabem horários e conteúdo da programação da emissora.

O BBB é campeão de campanhas no Facebook. O programa é rotulado das mais diferentes formas: merda é um substantivo comum, e muito repetido. São pessoas que não apenas tem opinião; querem impor a opinião deles sobre os demais. Querem e advogam, fazem campanha para intimidar a quem gosta e assiste aos programas da Globo.

Pelo menos duas pessoas, que criticam o BBB são viciadas e defensoras de programas como os do tipo: Brasil Urgente! Ai nestes programa é que passa a verdade; São estes programas que deveriam ser o modelo para o JN, JG, Bom Dia Brasil, JH, e toda a grade jornalista da Globo deveria seguir este modelo.

E as novelas? Tudo mentira. Só ensina o que não presta: mulheres e homens infiéis, contra as pessoas religiosas; faz apologia às drogas; todas as novelas tem muito gays; sempre apresentam os religiosos como desequilibrados, fanáticos… então todas as novelas não prestam para nada, só servem para a desinformação e descriminação geral da população brasileira. E no Facebook, aproveitam para dizerem-se contra as novelas. Mas, são pessoas capazes de saber imitar o Felix com alegria e satisfação.

Os filhos e os pais corujas: Quando se passa “na mídia” tristes acontecimento sobre crianças, é natural pensar que nossas crianças estão bem protegidas e que nada de mal acontecerá a elas. É comum ver no Facebook inúmeros erros quanto a segurança das crianças, em especial, fotos do ambiente onde vivem, como vivem, onde estão.

Há pais e mães que são irresponsáveis e pensam que eu é que ajo de forma desabrida. Não são eles quem comentem erros, sou eu, que sou problemáticos, em não achar interessantes pais, mães, tias, tios, irmãos, irmãs, sobrinhos, primos… a parentada toda a exibir as crianças dessa forma no Facebook.
Não são pais e mães corujas. Não são! São pais e mães irresponsáveis em tamanha exibição.

E, sim, não há nenhuma interferência de quem deveria visitar estes pais, para proteger a intimidade das crianças. Ai, neste ponto, você não encontra um delegado do ECA ou do CRAS dispostos e enfrentar tais pais e familiares.

Os conselheiros. Você quer ver quem são os conselheiros de plantão? Escreva uma frase do tipo: Estou mal; estou pra baixo; estou triste; estou na fossa; … ai, vai chover tantas mensagens de alto-astral, tantas frases de efeito; tantos conselheiros e conselheiras para te levantar; que você às vezes até dúvida de que aquela pessoa pessimista, arrogante, intolerante seja capaz de tamanha atitude: saber aconselhar você a sair de onde está;

Mas, é fácil entender gente: é que resolver a vida alheia e dar conselhos sábios é mais fácil do que cuidar da própria vida, e viver com sabedoria. Eu sei como é isto!  Mas, não chego a ser um conselheiro nas redes sociais. Sou noutros ambientes; acho que no Facebook não é o lugar propicio para certos assuntos.

Os informadores de notícias importantes; No outro texto que escrevi, quando abandonei o Facebook, listei isto como motivo suficiente para abandonar o ambiente. É só um reforço!


Há pessoas que pensam que saber todas as notícias, conhecer todos os assuntos do dia, é a melhor coisa que pode nos acontecer, e, por isto, certas pessoas enchem a linha do tempo com todo tipo de notícias. As notícias mais comuns às mais bizarras lá estão todas elas. Mas, há os que se defendem como imparciais, e no entanto, as notícias são sempre focadas na defesa do governo, de um partido, de um grupo. Ai fica na cara, não é?

É como se saber o que acontece no mundo fosse a única e mais sagrada das funções e atividades humanas.
E como há muitos fazendo isto, além das pessoas que trabalham nos setores de informação e das empresas de notícias, bem! Este comportamento, me enche o saco, além do que, já leio bastante notícias nos feeds de notícias das fontes que eles copiam e replicam as notícias.

Os super felizes. As vezes olhando as fotos e as publicações de outras pessoas não te dá a sensação de que ou são nossos amigos muito felizes, ou somos nós quem não aproveitamos as oportunidades de sermos felizes?
Curioso é ver fotos diversas. Lugares diversos.

É como se tivessem a necessidade de dizer para mim e para todos: Estou em um ambiente em que você gostaria de estar para se sentir feliz; eu estou aqui e você não! Eu posso vir, você não pode; Eu fui e você não foi; Além de lugares também há textos explicadinho sobre lugares, comidas, objetos, causas, músicas que nos fazem é ficar, as vezes chateados com nós mesmos e há quem chega a ficar desanimados por não saberem ou não terem condições de aproveitar melhor o que a vida tem.

Por outro lado, há os que reclamam: Tá ai curtindo as férias, mas, tá me devendo. Não deixa de ser um comportamento também detestável.

Os bem amados e amadas Similar ao ponto anterior, há este tipo de pessoa que fazem questão de publicar textos e imagens para provar que estão bem acompanhados, que souberam escolher seus pares, que estão felizes com quem escolheram.

Para muitos é como um jogar na cara: eu sou feliz por que tenho alguém que me ama, e que eu amo, e que está junto de mim, e você não tem; você é solteiro(a); você está só, eu não!
Eu não compartilho de tal atitude e me é motivo bastante e suficiente para desconfiar de que pode não ser tudo verdade, afinal, não é de hoje que sabemos que, nada dura para sempre, nem o mal, nem o bem; nem há nada que não se acabe: nem o mal, nem o bem.

E, quanto mais, é vermos fotos e textos de pessoas que sabemos estão vivendo numa torre e que, tal torre está em chamas? sempre necessitando de intervenção dos bombeiros, apesar de publicarem fotos e textos de os eternos namorados e apaixonados.

Apelo animal. Há quem não cria animais domésticos, mas ama publicar frases com fundo moral, apelo emocional, piadinhas, e até pedidos de oração, e também, conselhos amorosos com imagens de animais.


Reconheço que são imagens bem focadas, e com, aparente expressividade. Mas, dai, usar tais imagens como apelo emocional, para dizer por exemplo: o coelhinho pedindo amor, o cãozinho implorando atenção, o pintinho amarelinho, os patinhos lindos, bem como usam os animais em charges como se existissem milhares de Jean de La Fontaine Facebook afora… não me comove nenhum tipo de apelo animal.

Os que comem de tudo, e os que querem emagrecer. Para encerrar este conteúdo, não esqueço das pessoas que tem por hábito publicar fotos do que estão comendo, onde estão comendo, e que, fazem questão de exibir pratos suculentos e saudáveis, como que me acusando de ser glutão; há também os que são glutões e publicam pratos onde exibem as transgressões ao primeiro pecado dos sete pecados.

Os que publicam pratos e refeições as vezes também são as mesmas pessoas que estão num esforço para emagrecer; é que elas acreditam piamente no conceito de que olhar as imagens do que estão comendo, traz-lhe contentamento e saciedade.
Sim que seja! Mas, tem que matar a fome dos outros?

Tudo isto, e, mais alguns que não me lembro agora, me faz ficar longe do ambiente do Facebook.

5 comentários em “Quais os motivos que você não tem Facebook?

  1. Eu uso o FB muito pouco e sempre estou nos blogs, onde me acho mais, me sinto bem! Gostei do teu comentário e de imaginar os filhos perdidos sem a mãe,rs abração,chica

  2. Eu tenho facebook porque nos meus tempos de desemprego precisei tb procurar em grupos por la.
    Facebook é como qualquer outra rede social, voce precisa apenas focar o que procuras.
    Eu amo a velocidade e a praticidade do twitter, ali eu sou eu, falo mil besteiras sem me preocupar, quem nao curte usa o filtro ou apenas aperta o unfollow.

    A proposito tb no carnaval nao tenho pra onde ir, mas por incrivel que pareça, adoro o pouco conforto do meu quarto, o silencio do meu canto, detesto no meio do povao, me sinto mais sozinha ainda.
    Dia desses me bateu aquela saudade de sair procurando amigos pelos blogs que nem antigamente. Mas dai que so o blog da Luma tinha algo escrito…

    Entao eu fui reler coisas mais antigas e fiquei lisongeada com as coisas que li de amigos no meu blog.😀

    1. Eu tenho a lista de blogs ainda para revisitar. As vezes também faço releitura dos blogs, dos comentários, e as vezes me surpreendo com opiniões e comentários deixados ao longo destes anos todos de blogs.

      Este blog, eu quase não tenho escrito. No adaobraga.com.br escrevo mais. Muito mais.

      Os blogs existem aos milhões, mas, o povo fica mesmo nas redes sociais.

  3. Pois é meu caro amigo, as redes e suas banalidades e as vezes imbecilidades. Penso que onde o “homem” está reina tudo isto, é típico.
    Sua dissecação da rede é perfeita sem exageros e há que se respeitar.
    Logo que se implantou a rede no Brasil, li alguma piadinha que dizia que agora o Facebook seria estragado pois o brasileiro tem esta mania.
    A ideia principal é compartilhar, só que o compartilhar torna-se vasto e sem freios e aí estas porqueiras que você bem relata. Como em tudo, tem joio e trigo e separa-los é uma árdua missão, que muitas vezes o remédio é desistir mesmo.
    Espero que a família tenha vindo para um lugar mais afastado do circuito carnavalesco porque a cidade ferve e o transito uma loucura.Afastado do circuito tenho os dias como se não fosse a cidade da folia,do axé, do Lepo lepo,kkkkkk.

    Uma boa semana de paz e alegrias.
    Meu abraço de paz luz.

    1. Minha esposa está num bairro sossegado em SSA. Já o filho mais velho, como no ano passado foi para uma cidade mais no interior. Ou seja, aqui é o interior da capital, e lá, é o interior de Irecê. Imagina onde é que fica. O filho mais novo, também foi para uma roça com o avô.

      Eu prefiro ficar em casa e em Irecê, que afinal, está num silêncio, e numa solidão imensa. Não há muito movimento, nem lojas abertas, só alguns poucos bares, restaurantes que os próprios donos tocam e abrem.

      Eu fico em casa. Estou ouvindo as músicas que gosto, e que quando a casa está com todos os integrantes, não tenho tanta chance de ouvir. vejo meus filmes, atualizo e revejo episódios de séries, e tenho lido bastante.

      Se eu pudesse seria esta a minha rotina, mas, temos contas a pagar, compromissos a cumprir, não é?

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s