Comportamento de homens · Comportamento Social · Geral, amplo e irrestrito · Inteligência e Espirito · Participação, informação, comunicação · Reconhecimento · Relacionamentos, casamentos e contratos · Vidas

Você me ama?


O texto é de 2011, mas, usarei parte do que lá escrevi para responder a questão do título. Penso que são palavras suficientes para explicar se eu amo ou se não amo.

“Seja como for, sempre vou escolher o amor, mesmo que eu saiba que certos amores, me arrancarão o coração, e que eu irei passar algum tempo até que eu consiga reconstruí-lo. Ainda assim, vou sempre escolher amar, apaixonar, viver bons sentimentos.

Prefiro o amor, ainda que estes amores, me cause dor, pois, as dores do amor, são melhores do que outros tipos de dores. E todos já experimentamos uma e outras!

Eu tinha minhas regras. Escrevi minhas leis, meus credos, minhas formas de agir e viver, e no entretanto, nunca me foi possível prever e controlar os sentimentos. Eu, no máximo, conseguia controlar minhas atitudes, minhas palavras, e ocultar a dor e as hemorragias que as paixões e os amores até hoje me provocam.”

Do texto: Sempre vou escolher o amor.

Qual seriam as questões do amor em nossas vidas. Ah! São tantas e de tão diferentes que não vou escrever nenhuma. Mas sei, que, temos, desde a adolescência, regras quanto ao amor, as paixões, e especialmente, quanto aos relacionamentos. Algo que me foi comum em certa idade, e que, ainda vejo prevalescendo nas outras gerações pós 1968 é o temor de dizer: eu te amo. O medo de assumir sentimentos. O temor de perder o controle do relacionamento ao revelar-se “escravo do amor”.

E por que se evitam dizer tal frase? Por que motivo jovens e adultos se resguardam de dizer e mais, de demonstrar que ama alguém? Na minha opinião, é um mecanismo de defesa. Ouço com frequência as pessoas dizerem que se alguém descobrir que a outra o ama, que tem-lhe tais sentimentos, esta outra pessoa, se torna alvo fácil de chantagens e torna-se vulnerável a explorações diversas, inclusive o beheavorismo: (teoria e método de investigação psicológica que procura examinar do modo mais objetivo o comportamento humano e dos animais, com ênfase nos fatos objetivos (estímulos e reações), sem fazer recurso à introspecção).

Eu sei quando amo alguém e não tenho temor. Não tenho como controlar meus sentimentos a ponto de não sentir pesar, sentir-me decepcionado, ser enganado, ser chantageado, ou seja lá o que acontecer. Mas, não me furto, e não tenho medo de dizer a quem amo: sinto algo por você, e isto é amor. É um bem querer, um desejo intenso de estar com você, proteger, ajudar, auxiliar, saber do seu dia, saber de seus planos concretizados, os planos em andamento, os projetos, e tudo mais.

Eu prefiro assim! E assim posso afirmar.

3 comentários em “Você me ama?

  1. Oi, Adão!
    A imaturidade e desconhecimento do que é amor, faz o jovem dizer que ama “da boca pra fora”. Ao contrário do que diz seu texto, vejo pessoas dizerem “eu te amo” adoidado! Mas é a própria falta de consciência do amor que os fazem agir desse modo, pois quando amamos e sentimos a insegurança inerente ao sentimento, nos preservamos de ter decepções. Quem ama e diz “eu te amo”, também quer ouvir “eu te amo”. E se a reciprocidade não existir? Corre-se o risco de se sentir inferiorizado. Bem, mas esse amor complexado que sente orgulho, não é o amor verdadeiro.
    Quem ama de verdade não diz “eu te amo”, mas dá a vida por aquela pessoa.
    Tem um casal aqui na minha vizinhança que estão juntos há mais de 60 anos. Ela me disse que não lembra quando disse que amava o marido, mas sabe quando ele quer dizer: Ele segura as mãos dela com carinho e depois firmemente, como quem quer chamar a atenção. Sempre há uma troca de olhares para confirmação. Eles são uma graça!!😀
    Beijus,

    1. Amor ,amar, relacionar Luma, em minha opinião, são coisas diferentes e muito distintas e muito separadas. Se pode relacionar sem amor, e amar sem ter e manter relacionamento. O ideal é amar e ter bom relacionamento. Andar juntos; Viver juntos, estar junto. Como estes exemplos que você cita!

      Beijos! Adão Braga

  2. Otimo com reflexão, o medo ainda impede que sentimentos belos sejam externados e vividos.Medo de liberdade, medo de prisão e o ser humano se perde neste intervalo, e o amanhã às vezes é tão distante.
    Belo trabalho sempre atual amigo.
    Uma boa semana com paz e alegria na familia.
    Meu abraço.

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s