Sem categoria

Como é que você mede a sua satisfação e felicidade? Você é uma pessoa realizada?


Minha casa nunca deixou de ser uma referência. Alguns familiares nos criticam e outros nos admiram pelos mesmos motivos: somos uma família que acredita e defendemos valores, ainda que, alguns nos achem liberais em alguns pontos e conservadores em alguns outros.

Há porém fatos que alguns familiares ficam intrigados: os filhos não abrem mão da nossa redoma, e os amigos de nossos filhos gostam de vir aqui, e mais, gostam de ficar aqui.

Esta semana o irmão da vizinha que veio passar uns dias das férias escolares, veio ficar uns horas enquanto a mesma tinha que sair. Deste momento em diante, a criança quis vir para cá todos os dias.

Não só as crianças gostam de vir para cá. Os amigo de Kaio, o mais velho, já adolescentes, entre 17 e 25 anos, gostam e veem para cá muitas e muitas vezes.

Além! O que nós esforçamos para suprir a nossos filhos também agradam aos amigos. Jogos. Brincadeiras. Estudos. E até nas broncas. Ao longo destes anos alguns momentos fizeram me sentir feliz, ainda que, alguns momentos sejam tristes.

Um amigo de Pedro, veio para fazer um trabalho escolar. E, eu, depois de acompanhá-los, Pedro me pediu ajuda para resolver umas questões. Ele tinha a ideia. Eu ajudei a fazer. Ele queria fazer com barbante para ser puxado, eu ensinei a fazer por meio de alavanca. Depois de terminar este trabalho, o colega, na cozinha disse a Pedro:

Eu queria conhecer meu pai e queria que ele fosse igual ao seu pai.

Isto muito me emocionou. Por todos os motivos. Por aquele menino ser tão carente da figura paterna, e, por eu conseguir ser uma referência de pai até para os colegas de meus filhos.

Na mesma semana, dei um palpite num trabalho de química, e a dica foi suficiente para o trabalho ser o único correto. Na escola, na apresentação do trabalho e as devidas deferências, outro colega quis acusar que o trabalho de Pedro não valia porque Pedro recebe apoio e ajuda dos pais. A professora então entrou na conversa e disse que sim! O que não vale os pais fazerem as tarefas dos filhos, mas, devem os pais ajudarem os filhos em suas atividades escolares.

Um amigo de Kaio sentado no sofá gritou: “Porque eu não tive esta vida quando eu tinha a idade certa? Porque?”

Talvez seja esta uma das diferenças. Nos esforçamos para que nossos filhos tenha em cada época as características da época. Que não seja antes, e que não seja muito tarde. Nos esforçamos para evitar a erotização precoce, bem como, a “adultarização”.

Este ano Pedro Henrique teve um comportamento reprovável na escola. Fui chamado. Lá fui. Recebi algumas reprimendas sobre o mesmo. A preocupação da orientadora era inculcar em mim que bater em Pedro poderia não ser a solução. E eu sei que não. A força é a última instância. É quando todas as formas de dialogo e diplomacia não surtem os efeitos exigidos e necessários e em certas faixas etárias. Depois, o que surte os devidos são as ditas: a vida é sua, as consequências também! – É assim que faço.

As famílias não agimos todas de igual forma. Que graça teria se todos fossemos iguais? Por outro lado, penso que, o que tem contribuído para o descalabro social, é em grande parte, a falta de parâmetros e valores passados pelas famílias; por haver milhares de famílias esfaceladas.

Muitos efeitos colaterais que vivemos e que recaem sobre nós não é fruto da pobreza, pois, existem bilhões de famílias pobres e que, não existe certos distúrbios e anomalias sociais e desagregação social.

Eu e minha esposa nos esforçamos para ter e manter nossa família dentro dos limites exigidos, com os valores necessários para bem viver. Não com abundância e excesso, mas, dentro do que as regras do sistema econômico permitem com dignidade, valores, com satisfação emocional, social, cultural e espiritual.

Quando cheguei à região de Irecê, tive conhecimento de um senhor que morava no alto do morro do Sapecado e de lá me chegou este dialogo:

– O senhor se considera um homem realizado?

– Sim! Minha filha! Sou um homem feliz e realizado.

– E o que te faz sentir assim? O que é que te dá esta certeza de realização?

– É que eu e a mulher tivemos 13 filhos. Foram 7 homens e 6 mulheres. Todas as minha filhas são mulheres casadas. Todas tem seus maridos, filhos e casas. Nenhuma de minhas filhas virou puta. E nenhum de meus filhos nunca foram presos. Todos viraram homens.

Ai está na opinião de muitos uma medida do que é realização, sucesso e felicidade: a conduta dos filhos, a maneira como os filhos seguem o que viram em casa.

Anúncios

Um comentário em “Como é que você mede a sua satisfação e felicidade? Você é uma pessoa realizada?

  1. Bom dia! Desculpa-me por demorar em aparecer( mas,nunca ficaste esquecido). Um belo texto! Se as crianças e adolescentes querem ficar perto de vocês, com certeza, vocês têm muito carinho e amor em tua casa.Esqueça quem os criticarem.Continuem assim. Abraço Amigo.

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s