Ações da alma Humana · Alma e vida feminina · Blogagem Coletiva · Comportamento de homens · Comportamento Social · Inteligência e Espirito · Opinitivo e Pessoal · Participação, informação, comunicação · Relacionamentos, casamentos e contratos

Amor aos pedaços: Reintegração!


amor_aos_pedacos43

Integrar: é igual á fazer parte de um conjunto. Ser uma das partes do todo. Parte que completa. Estar incluido. É estar incorporado.

Desintegrar: é o contrário da definicão acima.

Reintegração: É voltar ao estado de integrar, estar integrado, voltar a fazer parte do conjunto, participar da completitude.

Pelas definições das palavras tem-se uma ideia do que é reintegração. E por ilação, conclusão, inferência, dedução do significado da palavra é obvio que só se RE-INTEGRA aquilo, aquele ou aquela que está, momentaneamente fora do conjunto, ou seja, estamos, desta forma tratando de mais uma tentativa de reconstrução, mais uma chance, mais uma oportunidade de que nossos sentimentos, nossos desejos sejam realizados nesta nova oportunidade.

A reintegração de alguém a um circulo; a reintegração de alguém a algum cargo; a reintegração de algo a seu lugar; a reintegração de alguém em algum lugar; a reintegração exige primeiro que tenha ocorrido a integração, o desacordo, a desintegração, e agora os passos para a reintegração.

Em muitas igrejas evangélicas, quando, pessoas do grupo agem de forma diferente do estabelecido nas doutrinas, nas regras do grupo, a pessoa é afastada da comunhão, é censurada, é disciplinada, é afastada das atividades da comunidade, ou seja, por suas atitudes é DESINTEGRADA. Para ocorrer a REINTEGRAÇÃO, é necessário dar provas de mudanças de comportamento; precisa haver comprovação de que se arrependeu do caminho tomado; tem que voltar a cumprir as regras, e por determinado tempo – que é imposto depois de análise do grupo dirigente e votação nas assembléias – ai, a pessoa é REINTEGRADA ao grupo por meio de nova imersão batismal, ou apenas, apresentação direta.

Nos relacionamento a reintegração, quando necessária, é muitas vezes, uma decisão do tribunal: corpo, alma e espírito. Isto mesmo. Nosso corpo, nossas emoções e nossa inteligência é quem nos ajudam a decidir reintegrar ou não, aquele ou aquela que por motivos quaisquer estavam desintegrado.

Algumas famílias ainda participam ativamente das decisões amorosas, e nestes casos, a integração, como a desintegração, e a possível reintegração depende do voto de confiança, e ou, dos motivos pelos quais ocorreram a desintegração.

A reintegração em alguns casos exige o pedido formal da parte que está desintegrada. Noutros casos, é a parte interessada quem propõe a reintegração.

E o amor? Bem! Eu creio que é com base neste sentimento nobre que os pedidos de reintegração são feitos. Evidente que há casos em que o pedido de reintegração são outros. Por volta dos anos 95/97 fui testemunha de um pedido de reintegração baseado em motivos expúrios. A pessoa que havia sido desintegrada quis aproveitar-se dos sentimentos nobres do moço. E, assim planejou:

– Eu digo que estou arrependida! Eu sei que ele me ama. Me aceita de volta. Eu vivo com ele uns tempos até ele pagar minhas dívidas. Quando eu estiver equilibrada financeiramente, eu pulo fora!

O amor reintegra. Mas, o amor, não faz com que as pessoas percam a racionalidade. E neste caso citado, quando se viu enredado na situação, ocorreu nova desintegração. Quando a parte reintegrada não muda de atitude, a parte reintegrante entra no caminho do desencanto, da desilusão e por fim, abandono do relacionamento. Em milhares de casos, esta parte, continua amando, continua crendo e esperando a recompensa de amar, perdoar e reintegrar. E quando só ela age e a outra parte não reage, bem, é inevitável: o amor não suporta maus comportamentos; a amor não embrutece a ração, em embota a inteligência; pelo contrário, o amor estimula outras emoções, inclusive a sensação do alivio: agora acabou! Já fiz de tudo. Agora sigo meu caminho, pois, o amor, me fez agir com justiça, mansidão, paciência, delicadeza, simpatia, encanto. Mas, não foi suficiente para impactar na outra parte, mudanças.

A reintegração é uma das alternativas que o amor dá a nós para que possamos nos relacionar melhor. Em minha opinião, a reintegração está ligado a perdão, recomeço, reestruturação, reconhecimento de que errou, mudança de atitude.

O amor incondicional das mães e do amor divino é quem reintegra sem pedido de caução ou de garantias. Estão sempre dispostos a aceitar suas crias sem exigirem o cumprimento dos tratos ou dos acordos. A reintegração em certa medida é o que nos ajudam cotidianamente. Eu já reintegrei várias pessoas a meu convivio. Eu já fui reintegrado também várias vezes.

Anúncios

9 comentários em “Amor aos pedaços: Reintegração!

  1. Para mim a reintegração é de ambas partes.De nada adianta eu fazer a minha parte enquanto o outro não está nem aí…é um recomeço sim quando os dois querem..
    Paz e bem

  2. Olá Adão,

    É isso mesmo: o amor de mãe é o único que reintegra sem garantias.
    Tenho um familiar evangélico e reconheci bem a descrição que aqui fizeste acerca das suas regras, integração e desintegração.

    Parabéns pela tua participação e obrigada pelo teu comentário no meu blogue.

    Um abraço

  3. Oi Adão,
    como sempre, adorei seu texto. Você prima pela originalidade com que pega os temas. Me surpreende.
    Muito interessante o enfoque de desintegrar a pessoa de um grupo e de voltar a reintegrá-la no circulo de convivio.
    Você e a Lella estão em sintonia nessa matéria: CadeiranteEmPrimeirasViagens.wordpress.com. Faço a sugestão porque acho que vocês vão gostar de trocar opiniões e a Lella entrou por último (hoje, dia 17).

    Grata por ter estado conosco durante os 5 meses de coletiva. Quem sabe se serão 6? Dia 15 AGO visite os blogs da organização. Vamos ter surpresa!
    Abraços.
    Rute

  4. No caso que citou, a pessoa usa a outra espontaneamente. Somente uma parte ama e tenta compreender (?) porque a outra parte não corresponde a esse amor. Não existe sinceridade e portanto, nunca haverá de dar certo esse amor.
    No mais, estamos em comum acordo. Reintegrar é resgatar o nosso amor-próprio. O que vai precisar passivo do exemplo que usou.
    Obrigada por participar da coletiva. Aguarde, pois teremos novidades!! Beijus,

  5. Olá!
    Em várias situações da nossa vida muitas vezes precisamos estar dispostos a nos reintegrar, é a nova chance que temos de voltar, de acertar. Foi muito bom esta integração na blogosfera e conhecer novas pessoas tbm, bjs. Ieda.

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s