Blogagem Coletiva · Comportamento de homens · Comportamento Social · Geral, amplo e irrestrito · Mulheres, Fêmeas, Feminino · Musicas e mensagens

Amor aos pedaços: Desencanto


amor_aos_pedacos25Quando nos encantamos com algo, com algum lugar, com algum animal, com alguma pessoa, é inevitável, na maioria das vezes, não despertar em nós o amor. Este amor, que sempre é mais forte do que tudo, todos os inconveniente, e aliado com a fé, e a esperança ele tudo suporta, tudo espera.

No entanto, o desencanto também tem sua vez, e ele desabrocha. O que é desencantar? Desencantar, oras, é o contrário de encantar-se. É perder a ilusão. É desiludir-se. Nos relacionamentos humanos, o desencanto nem sempre acontece na passagem de segundo para outro. O desencanto primeiro derriba, faz cair; faz deitar abaixo, demole, vai minando a fé, a esperança e finalmente, arruinar; destroem; abate; faz prostrar, subjuga e destitui o amor que o encanto havia erigido com tanto empenho, beleza, entusiasmo e cuidado.

A maioria das pessoa que me conhece sabe que trabalho com informática, mas, minha paixão maior são as relações humanas, as ciências humanas, os relacionamentos, e sabem que ao longo destes meus quarenta e poucos anos, tive contatos com inúmeras pessoas, dezenas delas já desencantas. Há dezenas de casos, causos e histórias neste blog de homens e mulheres desencantadas e os seus respectivos fins.

Como é que o desencanto acontece? É difícil dizer como é que acontece, mas, é sabido que o processo de desencantamento pode ser rápido, lento, modorrento, apático. Alguns conseguem viver longos anos sob o domínio do desencanto por motivos diversos. Até dizem que entre os vários fatores, a percepção e as expectativas de um para com o outro muito contribui. Pois, é dito que a mulher entra num relacionamento esperando que seja capaz de MUDAR AQUELE REFERIDO HOMEM a ser o que ela deseja. Já o homem entra no mesmo relacionamento com dois pensamentos: NUNCA MUDAR O SEU JEITO e esperar que ela também JAMAIS MUDE de atitude em relação a ele, e a si mesma.

Diante desta antítese é que o desencanto germina, cresce e pede para ser colhido. Quantas mulheres se encantam com homens bonitos, bem de vida, estruturado, e espera que com o tempo aquele(s) defeito(s), (seja qual for: alcoolismo, violência, indolência, preguiça, irresponsabilidade, amizades, descompromissado) sejam superados e vivam felizes para sempre. No entanto, o tempo avança e não se percebe desejos, vontades ou meios de contornar esta situação. Inevitável não se desencantar.

Eu conheço um senhor, hoje com uns 76 anos, que vive arremedando sua esposa. Ele faz caretas, repete frases, macaqueia completamente a maneira como ela vive seus dias. O comportamento dele é típico de quem está desencantado; mesmo assim, consegue viver com ela, e segundo ele:

– A minha idade já não permite sair por ai a procura de outra mulher, sendo que não sou viúvo, e o sentimento que tenho por ela, me faz não querer deixa-la agora nesta altura de nossas vidas. –

Ou seja, ele, ainda que desencantado é capaz de viver com ela por um sentimento que o encanto de outrora fez nascer. Outros no entanto, não conseguem suportar o desencanto. Pessoas desencantadas, com raras exceções, pirraçam mutuamente. A músicas que outrora eram de amor, e indicativos de carinho, memórias, passam a ser motivos de chacota e indiretas.

O que causa o desencanto? São vários os motivos. São muitos fatores, nenhum fixo, e uma infinidade de ações variáveis. Eu sei por exemplo de uma senhora que desencantou-se quando teve que por anos a fio limpar as imundícias de seu companheiro. Outras mulheres desencantaram com as humilhações sofridas. Centenas de milhares pelo comportamento desenfreado do companheiro. Outras delas pela imoralidade. Infidelidade. Violência. Entre vários homens as reclamações de que as esposas se tornaram mulheres frias, sem tesão, sem desejos, sem demonstração de carinho, atenção demais ao trabalho, a carreira, a família. É muito extensa a lista dos que se dizem desencantados.

Meu lado desencantador

E sua lista de ações, atitudes e modos que podem causar o desencantamento na outra parte, você consegue vê, lista e reconhecer? Eu, tenho minha lista. Eu sou intolerante. Eu sou exigente. Eu sou paciente – e todos temos nossos limites – e o minha paciência as vezes beira a outros valores como: apatia e pode ser confundido facilmente com “desimportância”, negligência, indolência, desatenção, … Mas, chegando a este limite eu me torno instável e revelo o que tem acontecido de forma impaciente, autoritária, enérgica e se, insistirem em não entender, bem, eu me torno como vários outros canalhas: grito alto e quero me impor pela força. E, vejam vocês que são traços de minha personalidade que conheço, reconheço ser de difícil lida, e no entanto, muitas vezes sou provocado e jogado para o lado do desencantamento. Tenho resistido.

Finalizando com uma música: A. B. C do preguiçoso – Xangai. Através desta música pode-se ver no final qual é o motivo pelo qual o marido diz estar desencantado, ainda que seja, por assim dizer: jogar a culpa sobre a esposa: Se eu soubesse disso tudo eu não tinha casado com você! – Clique aqui para ir ao site e ouvir a música. Uma delícia de moda de viola e cantoria.

Marido se alevanta e vai armá um mundé
Prá pegá uma paca gorda prá nóis cumê um sarapaté
Aroeira é pau pesado num é minha véia
Cai e machuca meu pé e ai d´eu sodade

Marido se alevanta e vai na casa da tua avó buscá
A ispingarda dela procê caçá um mocó
Só que no lajedo tem cobra braba num é minha véia
Me morde e fica pió e ai deu sodade

Entonce marido se alevanta e caçá uma siriema
Nóis come a carne dela e faiz uma bassora das pena
Ai quem dera tá agora num é minha véia
Nos braço duma roxa morena e ai d´eu sodade

Sujeito alevanta e vai na casa do venderão
Comprá uma carne gorda prá nois fazê um pirão
É que eu num tenho mais dinheiro num é minha véia
Fiado num compro não e ai d´eu sodade

Ô marido se alevanta e vai na venda do venderim
Comprá deiz metro de chipa prá fazê rôpa pros nossos fiim
Ai dentro tem um colchão véio num é minha véia
Desmancha e faiz umas carça prá mim e ai d´eu sodade

Disgramado se alevanta, deixa de ser preguiçoso
O homi que num trabáia num pode cumê gostoso
É que trabáia é muito bom num é minha véia
Mas é um pouco arriscoso e ai d´eu sodade

Ô marido se alevanta e vem tomá um mingau
Que é prá criá sustança prá nóis fazê um calamengal
Brincadêra de manhã cedo num é minha véia
Arrisca, quebrá o pau e ai d´eu sodade

Marido seu disgraçado tu ai de morrê
Cachorro ai de ti lati e urubu ai de ti cumê
Se eu subesse disso tudo num é minha véia
Eu num casava cum ocê e ai deu sodade

Fato é, que no desancanto, cada qual quer estar com a razão e nenhum deles estão certos.

Anúncios

12 comentários em “Amor aos pedaços: Desencanto

  1. Alguns homens envelhecem e ficam engraçadinhos. Macaquear as ações da esposa uma atitude bastante desrespeitosa e ilustra bem o fato de não ter uma posição dígna e jogar a culpa no outro. Atitudes assim, chegam a ser constrangedoras para quem presencia.
    Algumas pessoas conseguem externar seus desencantos, outras se retraem para viver essa dor. Pode ser por um tempo ou levado pela vida toda. Vejo muitas mulheres mais velhas amarguradas pois desejaram um tempo viver um relacionamento integral com o marido, mas esse marido se perdeu no seu cansaço. Elas se retraem e vivem a reclamar da vida. Fato é que o pimbão acha a mulher chata e não sabe por quê? Mas ficam juntos por quê? Essa é a cerne da questão. Se dizem não amar mais ou não sabem reconhecer o amor, criam uma dependência cotidiana na função de que cada um possui a sua obrigação.
    Adão, desculpa a demora em chegar aqui. Demoro mais chego!!
    Beijus,

  2. Oi Adão,
    o comentário anterior não era meu. É da Rô que não consegue comentar no worldpress.
    Agora sim é o meu comentário:

    Fartei de rir com os dois rezingões. São tal e qual meus tios-avós. Passam o dia nisso, minha tia-avó querendo que meu tio se levante e ele numa preguiça desencantada com a vida. Só come e fuma à janela. Ele é bem mais velho que minha tia e a coitada sente-se enterrada viva no casamento.
    Então passam o tempo a discutir e a se maltratar verbalmente.
    Mas nenhum dá o passo final de sair do casamento. Falta coragem apesar do desencanto.

    Abraço além-mar.
    Rute

  3. Foi como falaram uma vez nas aulas de literatura, um texto de quem não lembro, em que fala que o amor é cego no começo mas com o tempo a venda do Cupido cai e ele começa a enxergar os defeitos do outro. É aquela coisa que quando quebra não tem o que faça voltar a ser como era.
    Sei bem, muito bem como é isso.

  4. Adão, muito legal sua participação na blogagem. Acabei fazendo um exercício de autoanálise de minhas atitudes, para não desencantar os que eu amo. É difícil explicar o desencanto, às vezes apenas acontece, mas acredito que a idealização das coisas e das pessoas é algo muito a ver com futuras desilusões. Que eu possa ver as pessoas com lentes verdadeiras e generosas! Abraço, parabéns pela participação!

  5. Gostei da sua participação. Achei graça ao homem macaqueando a mulher.. Embora eu pense que por muito desencanto que haja, se um respeita a individualidade do outro não há macaqueações e secalhar até o desncantamento aparece. Eu penso que numa relação o respeito pela individualidade do parceiro é tão importante como o amor. Homem e mulher são diferentes teem gostos e hábitos diferentes. Pensar que o homem tem que reagir como a mulher e vice versa é desencanto, brigas, incompreensão e por fim separação.. Penso que a razão de eu ter um casamento de quase meio século tão feliz se deve a cedo ter percebido isso e a ter a sorte do marido pensar do mesmo jeito.
    Um abraço e uma boa semana

    1. Arremedar ou macaquear no exemplo Elvira foi a maneira que ele demonstra reparar-lhe os defeitos e as manias. outrora estes defeitos existiam, mas, o encanto, a maneira amorosa com que eles viviam, ele suportava. Agora que está desencatado, vive a repetir-lhe as manias, os trejeitos, e os modos de falar, andar e sentar de forma critica.

  6. Olá Adão ! é muito complicado falar sobre desencantos,paixões.relacionamentos etc… Hoje por acaso deixo um poema para as mulheres que vivem maltratadas pelos os homens e por lá continuam a viver. Eu sou daquele tipo de mulher que quando estou mal mudo de lugar,não aguento ninguém a me dar ordens,ofensas,maus tratos fisicos e psicologicos etc… Mas de tudo o que aqui li ,deixo uma mensagem a todos,Ninguém pense que muda o comportamento de alguém,ninguém muda por amor e se uma mulher conhece um homem que do inicio não lhe agrade,não pense que com o tempo que ele muda,pois isso não é verdade! tanto é para ambos os casos. Ninguém muda ! Pau que nasce torto,nunca se vai endireitar

    Passo para te desejar uma excelente semana,beijo

    Carla Granja

    Obrigado Carla Granja. Certamente que visitarei e lerei esta história. Quanto a seu comentário, é bem isto. Ninguém vai mudar o outro. E os que dizem mudar, muitas vezes cobra caro pela mudança.

  7. A Rô não consegue comentar em wordpress, dai me pediu para postar o comentário dela:

    «Olá, Adão

    “Tu és o orvalho que me beija”…
    (Meliss)

    Em pleno período pascal nos reencontramos para tecer o nosso Desencanto… entrelaçar partilhas de coração a coração…

    Seu post foi bem analítico do Desencanto e nos pontua uma série de questões bem pertinentes ao mesmo…
    Não adianta fugir disso muitas vezes… em alguns casos, é assim mesmo como vc diz: Desencanto… desilusão… apatia total… comportamento arredio e frio…
    Que vida desencantada!!! Isso não combina comigo jamais!!! Vi meu papai em seu relato…

    Obrigado por sua participação e nos vemos no próximo mês se Deus quiser!!!
    Abraços fraternos de Paz e Esperança junto com o meu carinho fraterno

    “Meu coração orvalhado
    pleno de gratidão,
    agradece a Deus”…
    (Élys)»

    Depois volto para ler sua participação com atenção e comentar.
    Estou seguindo a ordem de entrada.
    Abraço. Até breve Adão.
    Rute

  8. Vc fez uma análise do desencanto amoroso, trazendo características importantes dos relacionamentos que o favorecem.
    Interessante seu interesse por relações humanas sendo da informática.
    Parabéns pela participação.

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s