Alma e vida feminina · Blogagem Coletiva · Opinitivo e Pessoal · Relacionamentos, casamentos e contratos

Amor aos pedaços: Encantamento


 

amor_aos_pedacos12

Eu uso uma frase, com certa frequência. Ao ouvi-la, e quem a lê, leva de inicio um susto, ou fica sem captar o sentido e o significado da frase que é esta:

– Você nem merece, mas, eu te amo!

O amor, o mesmo que é poetizado, declamado, filosofado, instrumentado, manipulado, julgado, incompreendido, idealizado, perseguido… é um sentimento PESSOAL e INTRANSFERÍVEL. Pode existir em mim, e não existe em mim, capacidade alguma de transmitir e transferir este amor para você, a ponto de você saber mensurar, quantificar, conhecer ou ter medidas do quanto é que este amor que existe em mim.

Compreende-se que a paixão é um sentimento reciproco em duas pessoas. Mas, o amor, pode existir apenas em uma das partes. Tanto é assim, que você pode amar coisas, e as coisas não responde  a seus sentimentos. Você consegue amar um lugar; você ama animais, e certos animais, não  tem demonstração de amor, e não se sabe se os mesmos tem tais sentimentos. Alguns sim. Outros não! Por exemplo, alguém já sentiu um peixinho de aquário demonstrar sentimentos por seus donos, ainda que estes digam que os amem? O que encafifa nas pessoas é que se ama de formas variadas, como disse ainda neste parágrafo. Ama-se lugares, bichos, objetos, situações, eventos, ações, reações, situações.

  • Eu amo pular de paraquedas;
  • Eu amo cachorros;
  • Eu amo gatos;
  • Eu amo carros.

Não esquecendo, evidente, de sabermos diferenciar tais amores, tais sentimentos. Não se pode dizer que a maneira como se ama uma coisa, é a mesma maneira que se ama um animal, muito menos, como se ama as pesssoas. O que observo, é que, somos exigentes com nossos semelhantes quanto, ao amor que lhes dedicamos, o como demonstramos, e o tanto que sentimos, é quase um imperativo em nós, exigir a mesma dose, tamanho, largura, altura, extensão em troca. […]

As pessoas declaram amor assim, sem exigir por exemplo, nada de volta das coisas, dos lugares, por que sabem ser este amor: mão unica e direcional: de mim para lá! Mas, não se consegue agir assim com nossos semelhantes: entre nós, os racionais, o amor, exige-se que seja BI-DIRECIONAL e full duplex (Em informática é a capacidade de transmitir e receber uma grande quantidade de dados simultâneamente). Nós exigimos de quem amamos, amor igual ou em dobro nas quantidade e velocidades com que operamos.

E por que mesmo nós amamos? Por que você ama seu cão? Por que você ama seu gato? Por que você ama seu carro? Por que você ama seu trabalho? Por que você ama estudar? Por que você ama história e odeia português? Ai, em minha opinião, é que entra o ENCANTO. O encantamento acontece quantas vezes para despertar o amor? Eu não sei! Nem sei se é possível contar! Sei que quando ficamos encantado, estamos mais propensos ao amor. Sei que o encanto é que nos arrebata, nos faz perceber o prazer, ver as qualidades que nos atraem, e que fazem-nos está agradado, fazer agrados, ficamos maravilhados e maravilhar,, seduzidos e conquistar, enlevados e enlevar, extasiados e extasiar.

Não temos também a capacidade de escolher o que é que nos encanta. Acontece! E ficamos assim: encantados, enlevados. Extasiados, seduzidos. Quando decidimos permanecer ao lado de quem nos encantou uma, duas, ou quantas vezes ocorrerem, é que, ou é porque queremos estar sempre encantados, ou esperançosos de que este encantamento dure o tanto de nossos dias de vida.

Se estou com quem me encantei na minha juventude, é que ainda há encanto entre nós. Por outro lado, estamos também encantando outras, e sendo encantado. Isto não tem fim.

Observação: Este texto faz parte da Blogagem coletiva. Eis aqui as explicações: Fases da Vida. Eu recebi o convite por e-mail da Luma Rosa. Ela já escreveu também. Amor aos Pedaços.

Anúncios

32 comentários em “Amor aos pedaços: Encantamento

  1. Olá
    Penso que o encantamento nos impulsiona na vida e trago como disparador consciente, deste encamento da vida e pela vida, quando tomei contato com o meu primeiro amor.
    Temos vários “objeto” de amor e para cada um deles nos manifestamos com a nossa forma de ser que começa a se constitui com os primeiros seres que nos amam. Assim, penso que amamos como fomos amados.
    Abraços,

  2. Gostei do texto. Eu acho que o amor não é um sentimento imutável. Senão então como compreender um homem que toda a vida foi amorável e que um dia mata toda a família. Loucura? Mas ela também não é um ramo do mesmo amor?
    Sempre entendi o amor como se fora uma criança. É preciso cuidá-la e protegê-la para que cresça saudável e forte, capaz de enfrentar os maiores obstáculos. Amor que não se cuida, fica sempre frágil e sosobra com a primeira dificuldade.
    Um abraço e bom fim de semana

  3. Adorei a forma como você colocou o amor e a paixão no texto.Tem muita gente que não entende que a paixão e o amor são diferentes e são sentidos também deste modo.
    Quantas vezes me apaixonei e demonstrei a paixão, e quantas vezes amei e alimentei em segredo o amor,que já me encheu de luz e outras vezes me fez cair lá do alto.
    Mas a vida é assim,esse vai e vem de sentimentos e o encantamento é o que diferencia pessoas e pessoas em nossas vidas.
    Parabéns pelo post Adão,tenha um ótimo fim de semana,=)

  4. “O amor não precisa razão.” Ele acontece em suas diferentes formas ou se transforma. O amor verdadeiro nunca morre.
    Muito bacana sua participação, Adão. Amei! 😉

    Grande abraço.

  5. Adão, diferente sua ótica e gostei. Sem encantamento, não há como amar, eu penso. Encantar-se é saciar-se de ternura a tal ponto que nem seja preciso a reciprocidade. O amor cobre, o amor liberta. Parabéns pela sua participação. Grande abraço

  6. Que legal e tens razão…O encantamento não acaba e se estamos juntos da pessoas que nos encantou ainda. é bom demais!!! Estou há mais de 43 anos,rsrs abraços,chica

  7. Olá, Adão!Acredito, como você que o encanto deve fazer parte de todos os setores da vida. É o motor que nos faz girar e que traz colorido à vida. Creio que o encantamento faça parte do amor, é claro que com o tempo, não é que diminua, mas fica um “encanto conhecido”, que é bem diferente do encanto da novidade, mas também é uma sensação igualmente boa, talvez mais confortável e menos ansiosa que o encanto imediaito!Parabéns pela participação, gostei muito.
    Abraço, de Portugal

    1. Nesta blogagem Lina, tenho descoberto que há tantos de nós, que cremos nos encantamentos, que estamos encantados, que vivemos do amor encantado.. . que sabemos: não estamos só, nem somos só!

  8. Olá, Adão!

    Muito pertinente a sua assertiva sobre o amor e sobre o encantamento. Sim, é salutar que presevermos esse encanto, pois, com ele, a vida torna-se mais doce, e passa a ter um significado maior.

    Grande abraço
    Socorro Melo

  9. Olá Adão, pelo visto você está no paraiso, continuando a se encantar com o amor da juventude. Que bom!
    Gostei muito da sua forma de expor o amor e do paralelo que estabeleceu, primeiro com a palavra banalizada, já que se usa “amo” para tudo, e depois com o fullduplex (amor-reciproco), não conhecia a expressão informática.
    Você dá inicio à nossa coletiva com méstria!
    Foi um prazer ler seu texto. Você é um homem muito sensivel e atento aos sinais do amor. Talvez seja essa a razão do sucesso da vossa relação. Continuem se encantando.
    Abraços além-mar.
    Rute

  10. Adão Braga fiquei maravilhada com este seu texto. Alias, eu me encantei com esta sua visão de amor, de encanto. Em especial, nesta sua colocação de que amamos coisas e animais de forma diferente de como amamos a nossos semelhantes, e creio que é verdadeira esta sua observação.

    Encantada!

    Para a pessoa que disse que não conseguiu comentar, pode ter sido algum problema com seu acesso ou algo temporário. Eu não tive este problema não!

  11. Adão, a Rosélia veio aqui comentar, mas não sei o que acontece com o seu sistema de comentários que pede para logar. Coloquei os dados dela direitinho e aparece o meu avatar.
    Ela me passou o comentário por email, eis:

    Olá, querido amigo

    “Somente quem ama e se permite amar
    é que detém o tesouro do
    verdadeiro
    AMOR!
    (Kiro)

    Mais uma emoção rola no ar… que maravilha poder contar com tanta gente impregnada de amor!!!
    Encantada por assim dizer… Enamorada pela vida…
    Amando o amor…
    E pelo Amor sendo amado…

    Interessantíssimo o seu cabeçalho sobre o amor sem merecimento algum da outra parte… creio ser assim mesmo que acontece… mais do que nunca tenho visto que é assim… mas é bom esse altruísmo do amor… inigualável e incomparável…
    Gostei muito da diferenciação dos “amores e encantamentos”… hoje em dia se faz tudo num patamar único… é uma lástima!!!
    Obrigado por participar conosco…
    Fez muito bem em destacar essa questão no meu ponto de vista!! Perfeito!!!

    “Orvalhou o próprio Céu ante a face do Senhor”…
    Abraços fraternos e encantados e ótimo dia amorizado pra vc.

  12. Adão, compartilho com você quase que as mesmas impressões, só com algumas ressalvas – eu acho que o amor que sentimos não muda. Esse sentimento é imutável, mas o que muda é o seu grau, a variação de intensidade. Veja bem, amamos aquilo que nos traz conforto, satisfação ou que preenche em nós qualidades que não temos e por isso, muitas pessoas amam o inatingível ou alguém muito diferente dela. O encantamento existe enquanto houver suprimento de tudo o que falei anteriormente. Por que alguns casais se separam depois de longos anos convivendo e muitas vezes anos bem convividos? A resposta você vai me dizer em outra fase da blogagem! 😀
    Então, estava lendo o comentário da Rute e a meu ver, a melhor solução é você republicar esse texto na data 😉 Bom fim de semana! Beijus,

  13. Oi Adão,
    sou a Rute e faço parte da organização da coletiva junto com a Luma e a Rô.
    Será que dá pra você alterar a data de publicação do post?
    É que não era para publicar já, a 1ªfase (rs).
    A BCAP funciona assim:
    Dia 15 Março – será quando todos os participantes da 1ªfase vão publicar
    Dia 17 Março – faremos a chamada (apresentação) para a 2ªfase
    Dia 15 Abril – será quando todos os participantes da 2ªfase publicarão
    E por aí fora, 15, 17, 15 17. Entendeu?
    Por enquanto, ainda só fizemos a chamada (apresentação) da 1ªfase, no dia 15 FEV, mas ainda não é para postar a participação.
    Por isso é que ainda ninguém veio ler ou comentar a sua.
    Dá para alterar? Na onda de dia 15 Março venho lhe visitar e comentar.
    Grande beijo de boas vindas à BCAP.
    Rute

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s