Ações da alma Humana · Alma masculina · Comportamento de homens · Geral, amplo e irrestrito · Mulheres, Fêmeas, Feminino · Opinitivo e Pessoal · Relacionamentos, casamentos e contratos

Mulher descarada tem que apanhar


Faz algum tempo que a palavra mulher tem sido o foco de muitos comentários. Agora com a eleição e posse de Dilma Roussef na presidência é que mais se acentua a questão. Na minha opinião, estamos numa onda momentânea, em que a ideia central é de que a independência do gênero aconteceu. O que tem se acentuado é “implicitamente” ou subliminarmente, querem dizer que a “mulher” como gênero venceu.

Mas venceu o que mesmo? Contra o que elas lutavam? Eram contra nós homens ou contra elas mesmas? Lutavam contra os preconceitos, contra a sociedade, como dizem, machista, patriarcal, preconceituosa, opressora da classe feminina. Eu continuo a discordar. E, faz anos que venho insistindo na tese de que isto é mais um embuste.

Recentemente bombou no Youtube o vídeo da esposa que espancou, pisoteou a amante do marido. Teve reportagem espetacular nalguns programas. Teve entrevista. Comentários diversos sobre o Barraco de Sorocaba.

Na também recente novela de Glória Peres, Caminho das Índias, Melissa Cadore dá uma surra em Yvone e aumentou a audiência da novela e o sentimento de justiça, não o de vingança se estabeleceu como rumo, como marco social.

Mulher que toma o marido de outra, mulher que se relaciona com homem casado sabendo que ele é casado, é socialmente aceito e socialmente divulgado que a solução é porrada nela. Tanto na vida real quanto na ficcional o desejo é sempre o mesmo: mulher descarada tem que apanhar.

Se por um lado é legal, é bonito ver a ascensão feminina ao poder. É legal, é bonito ver mulher em posto de chefia, de gerência, no comando, também é verdade que social e culturalmente todas são assim tratadas. Aqui é assim. No Irã são apedrejadas.

No ano passado, num determinado computador que eu fiz um trabalho li o seguinte bate-papo de MSN em que fica exemplificado como é que se deve tratar mulher descarada, mulher safada.

– sabe a festa da igreja lá na fazenda, tem cada coisa. Meeeeeu Deus!

– diz o que foi que aconteceu que te deixou assim!

– tu acredita que a namorada de Glauco aprontou lá dando em cima de outros meninos?

– Eita juventude perdida, meu Deus! Quando é que vão tomar juízo?

– Ele terminou com ela lá mesmo

– vixe mãe! ele viu a safadeza????

– Ele não, mas todo mundo percebeu a safadeza dela e das irmãs também não ficam pra trás não!!

– Ele só terminou? Não fez mais nada não?

– A coisa foi feia. Até os próprios meninos, ficaram incomodados, e vieram me contar porque elas não largavam do pé deles. Até de madrugada na barraca dos meninos elas foram atrás, mas, ninguém tá sabendo disso. Só eu.

– Meu Deus que tipo de mulher são essas que não se colocam em seus lugares.

– Que tal?

– Um horror!

– E eu tive a missão de contar pra ele o que estava acontecendo lá

– Contou lá mesmo? Na bucha?

– Eu disse que não era nada pessoal que ele deveria me entender, e contei lá mesmo, na manhã seguinte. Eu nem dormir enquanto não revelei toda a safadeza delas. Mas o pior que a família dele toda viu e exigiu dele que o namoro terminasse lá mesmo.

– Uma safadesa desta, quem é que aceita? Não é?

– Com este  assanhamento fica difícil os garotos quererem compromisso sério com elas.

– vixe! É mesmo.  Foi feio viu!!!!! muito feio da parte delas. São minhas amigas, mas, não apoio mulher descarada não.

Não se ganha sempre, não é? E, esse negócio de mulher independente, mulher poderosa, mulher livre, mulher super, mulher dominadora, etc e tal, não é suficientemente capaz de livrar o gênero destes laços sociais, morais e éticos. Até mesmo as ditas mulheres independentes, poderosas, famosas como Ivete Sangalo quando recebeu a visita de Ana Maria Braga não deixou que a mesma fosse no quarto acordar o esposo e disse:

– Não acorda ele não que ele não gosta! Ele me larga se isso acontecer!

Este é um outro tipo de comportamento mal visto e mal entendido na guerra entre os gêneros. Essa natural submissão feminina ao gênero masculino, e ou talvez, esta tática feminina de ter poder incomoda a muitos. Pensam que não deveria haver mais esta palavra submissão, e penso, tentam dizer que o que existe mesmo é cumplicidade.

Pois, bem, a mulher já está dominando o poder, o mundo dos negócios, as finanças, as igrejas, as casas, as famílias já eram delas, mas, são elas mesmas que não aceitam o golpe baixo das que pertencem a espécie e ao gênero, por isto mesmo, elas reagem com estas traidoras, tais quais, alguns homens reagem quando são traídos: mulher safada tem que apanhar.

E, num passado recente, relatei aqui a história de um marido que contratou meus serviços para saber com quem a esposa estava marcando encontros pelo MSN. Eu, vi o nome do outro, vi o lugar aonde iriam se encontrar. No entanto, disse-lhe que havia sim indícios de infidelidade, mas, sem maiores detalhes.

Um colega de profissão ao saber do caso disse:

– Eu teria ajudado a matar esta safada. No mínimo teria feito de tudo para ele deixar ela entre a vida a morte.

Este modelo, é ainda o modelo existente e estabelecido mesmo com a mulher no poder, e com a vigência da lei Maria da Penha!

Anúncios

10 comentários em “Mulher descarada tem que apanhar

  1. Ahhhhhhh Marlene esqueci de dizer que: Eu jamais disputaria meu marido a tapas com alguma outra mulher. Sabe porque? Não dependo de homem para pagar minhas contas, comprar minhas roupas, sustentar minhas vaidades. Portanto, em caso de traição, a porta da rua é serventia da casa.

    E se já estive do lado oposto? Sim…por 2 vezes. Na maioria das vezes caindo no papo do “coitadinho” que só falta dizer que não se separa porque a mulher é entravada na cama. Mas com a mesma rapidez que tive a imbecilidade de entrar na relação, também tive a coragem de sair fora. E, ainda assim, tive que aguentar durante meses choradeira no telefone. O que fiz? Mudei o número.

    Não existe relações erradas ou certas, muito menos existem fórmulas para o sucesso de uma relação. Existem casos de pessoas que se separaram para ficar com os amantes e estão felizes até hoje. Mas se o respeito e o amor próprio prevalecerem, tudo ficará mais claro e as resoluções serão rápidas. Portanto, não sujo minhas mãos e nem meu ego por causa de homem nenhum nessa vida. Afinal, a fila anda…

    E quer saber? Réplicas e tréplicas somente com Adão Braga. Mas para vc o recado já foi dado. Se vestiu a carapuça é porque quis.

    1. deveriamos ter tmbm a lei ‘joão do bar’ai sim havera igualdade,o homem deve sim respeitar e a mulher tmbm igualmente deve respeito,nem machismo nem feminismo,viva Lula.

  2. Marlene…se fosse eu a chifrada com certeza me divorciaria, pois acredito no casamento e mais do que isso acredito muito no meu amor próprio. Jamais voltaria a viver com alguém que, sequer sei se já usou camisinha em outras relações. Quando um casal permite que um terceiro entre na relação é porque não há mais o que conversar de um dos lados. E se há aceitação da traição está faltando respeito a si próprio. E para mim, sinceramente, não há respeito pelo a si próprio quando se permite viver uma relação já desgastada, com traições, brigas.

    E mulher descarada é aquela que desafia, que atiça, que impõe sua presença numa relação, que atormenta a esposa, que magoa os filhos, que fica fazendo ligações anônimas de madrugada, que fica fazendo deboches, dando indiretas. Essa sim merece levar uma boas lapadas na cara. E dessas o mundo tá cheio e não tenho a menor piedade por elas. Se está na condição de amante, então, permaneça assim até que ele tome a decisão ou cale-se e deixe o casal seguir sua vida em paz.

    Faça-me o favor…vestiu a carapuça? Problema é seu…

  3. Duvido que se a chifrada fosse essa beth se ela pensasse assim. Se ela fosse a discarada certamente ia defender dizendo que o discarado tava carente que a esposa não zelava dele, mas, se fosse ela a chifrada, iria lá querer bater na amante do marido ela. ou seja, ela não quer ser a chifrada, e tem que bater na outra, mas, se for ela a vagaba, não quer apanhar, a culpa é da outra.

    voce tá certissimo adao braga. a nossa sociedade ta doente, confusa e sobretudo, sem valores morais e eticos.

  4. Esta ambiguidade moral e ética é visivel!!! Uma pena que uma grande parte da sociedade não consiga enxergar. Veja o comportamento das pessoas em defender seus pontos de vista, sem ao menos pensar e analisar o que defendem.

    É assim mesmo os conceitos morais, éticos, politicos, espirituais e da maioria dos valores. Ao tempo, que querem defender a justiça, também pregam e incentivam linchar estupradores. Ao tempo, que defendem a libertação feminina, também, acorrentam-nas em suas leis e regras sociais.

    As novelas são assim mesmo. Os autores colocam uma mulheres para trair, e é normal trair!Norminha e Abel. E, também, Melissa e Yvone. São exemplos antagonicos social, moral e éticamente.

  5. Oi!!
    Pois é, eu sei q temos direito, mais e muito dificíl meu filho já tem 6 meses de diabetes e ainda não consegui os medicamentos q ele toma, somente as fitas e mesmo assim teve um mês q fui buscar e não tinha.
    Meu processo está em andamento não vejo a hora, pois está muito dificíl.
    Obrigadoo pelo carinho.

    bjss

  6. Não entendi nada do que vc quis dizer:

    Mas também acho que mulher descarada tem que apanhar. Que mulher que gosta de ser chifrada tem que levar mais chifre para tomar vergonha na cara e pedir a separação. E homem que trai tem que ser corno duas vezes: da amante e da mulher!

    Agora, não acho submissão da Ivete coibir a Ana Maria de entrar no quarto dela. Pessoa pública é a Ivete e não o namorado dela. E além do mais a Ivete é bem possessiva e territorialista quando o assunto é casa, familia. Não sou Ivete mas proibo, por exemplo, a empregada fazer barulho quando o maridovski tá dormindo. Putz…e nem por isso sou submissa à ele.

    Beijos querido !!! Tô aqui no trabalho … e vou trabalhar um pouco !! 🙂

  7. Vou ser solidaria a Ivete, isso é respeito, não sou homem, mas se alguém me acordar sem um bom motivo, sei não…
    Não é necessario porrada para ser enquadrado na lei maria da penha, basta xingar. Mas tem mulher que acha que xingar é normal quando ha discordancias ou atritos emocionais, ou mesmo que merecem ser xingadas.
    E viva a lei maria da penha!

  8. Cara! Nem preciso dizer o quanto admiro esta sua maneira pessimista, caótica, cinica de ver o mundo e suas relações ética, morais, espirituais e sentimentais.

    Observando isto, da maneira como você coloca, é mesmo antagônicos, antitético tanto o comportamento social, e a leitura oficial da situação.

    Mesmo sabendo de suas opiniões sobre a virada de ano, você sabe que não vou respeitar esta sua mania ranzinza de encarar o mundo!

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s