Ações da alma Humana · Assuntos da Alma · Comportamento de homens · Reconhecimento · Relacionamentos, casamentos e contratos · Vidas

Os avisos que nos chegam


Este fim de semana uma amiga realizou a cerimônia de casamento aqui no Brasil. É que ela casou-se com um espanhol. Eles tiveram que realizar dois casamentos para terem certos direitos garantidos.

O que me impressiona em alguns eventos, talvez, sofrendo influência de filmes e teorias conspiratórias, é que sou observador de alguns detalhes que envolve aqueles participantes.

Uma música trágica representará algo trágico sempre. Vejo alertas e avisos premonitórios em diversos momentos, até mesmo, no voo de um Anhum sobre minha cabeça ou sobre minha casa. Nos filmes, em especial, a série Premonição, é usado tal recurso para ilustrar que “algo”, ou “alguém”, de alguma maneira, nos avisa que algo não está começando bem. São avisos diversos que servem para alertar os envolvidos de uma tragédia iniciada.

Não gosto de ir em cerimonias de casamento. Não gosto de festa de aniversários. E o pior de tudo, é ir numa casa em que os anfitriões, resolvem nos entreter com o DVD do aniversário, ou do dia do nosso casamento. Triste! Por isto, nesta última meia-década, que eu me lembre, este foi o segundo casamento que eu fui obrigado por laços de amizade ou por circunstâncias a ir.

No casamento anterior, era de um casal religioso ligados aos Testemunhas de Jeová. O noivo, resolveu agradar a noiva lendo as seguintes palavras:

Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração" (Oséias 2:14).

As palavras isoladas são lindas. No seu contexto uma tragédia.

No seu contexto histórico, representa o plano do marido em tentar este último recurso: o isolamento, o afastamento total da comunidade para que ela pudesse prestar atenção nele, e assim, não havendo outros homens por perto, talvez, ela aceitasse o amor que ele lhe oferece.

Isto mesmo! Oséias era casado com esta mulher. Quer saber mais? Leia o livro do profeta Oséias. É linda a história.

Esta história aconteceu na antiga Samaria. Ele amava e se casou com esta mulher chamada Gômer. Oséias era apaixonado como um poeta, porém, não houve poesia em sua vida. Ele deve ter pensado que mudaria a vida dela, mas não aconteceu.

Ela era uma prostituta e gostava de ser. Muitas vezes, o abandonou. Em mais de uma destes momentos de abandono, voltou. E, os filhos que ela tinha, dizia que eram dele. E ele os criava. Neste contexto, é que Oséias planeja e quer assim agir com ela.

Como é que alguém, ignorando tal contexto, assim diz, para sua recém esposa? Isto é sinal de agouro. Mal presságio. Não deu outra! Não teve jeito! O casamento deles começou com este planejamento e acabou em menos de dois anos.

O casamento de minha amiga, por outro lado, teve em diversos momentos uma música de fundo. A música não foi ela quem escolheu, muito menos ele. Era o padre quem solicitava: “Por favor coloque uma música de fundo!” A música tocada era YESTERDAY (tradução). Composição do Paul McCartney.

A canção, apesar de linda, clássica, sucesso no mundo, paixão de diversas pessoas, não é uma boa canção para cerimônia de casamento. E porque? Simples: Yesterday, é uma música que fala sobre um amor perdido! Como é que se toca uma música em uma cerimônia de casamento em que o tema central da música é um amor que foi perdido? Falta de todos os sensos possíveis, a saber:

  • Senso comum:  Conjunto de opiniões e modos de sentir que, por serem impostos pela tradição aos indivíduos de uma determinada época, local ou grupo social;
  • Senso moral: Faculdade de reconhecer intuitiva e infalivelmente o bem e o mal, sobretudo nos fatos concretos;
  • Bom senso: Aplicação correta da razão para julgar ou raciocinar em cada caso particular da vida.

Chris, uma amiga, que me viu menear a cabeça negativamente, me perguntou o motivo de minha negativa no momento da cerimônia. Ela é professora e dona do curso de Inglês aqui na cidade, e eu disse o motivo. Ela cantarolou a música, e concordou comigo ao dizer:

Realmente, a música não tem relação com o momento, pelo contrário, a letra da música é contrária ao momento.

Observe o seu momento. Você poderá está sendo alertado de que algo está começando errado, continuará errado, e terminará errado. Depois não diga que ninguém te avisou!

Anúncios

3 comentários em “Os avisos que nos chegam

  1. Recentemente fui a uma cerimonia de casamento em que o padre sugeria que os noivos suportassem qualquer sofrimente calados.

    “Que nenhum de seus amigos saibam que estão tristes ou aborrecidos” repetiu diversas vezes.
    A rejeição dessas palavras foi unanime.

    Pior foi ver a noiva se deliciando com as palavras do padre, o noivo tem muitos amigos dos quais ela não gosta e que preferiria que não existissem, entre eles, Eu.

    Eu também não gosto de rever certos momentos, nem os meus, é meio melancolico.
    Outro dia procurava um cd com uns arquivos de um cliente e encontrei um video do arthur com uns 4 anos, deu um sensação estranha, uma recordação feliz mas que aperta o peito, não gosto.

    Vi seu comentario lá na Iara, aqui no rio quem trabalha com informatica a coisa ta feia, tudo por conta de uma crise que nem sei se realmente existe, meus melhores clientes são do ramo imobiliario, meu natal será mais pobre.

    Desejo dias melhores.

    Beijos

  2. Talvez fosse apenas a música que os faziam lembrar do seu primeiro encontro, da primeira vez que se olharam. Apenas por isso ela foi tocada em um momento tão especial da vida deles. Apenas isso.

    “As vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido.” (Fernando Pessoa)

    Beijos Querido!!!!

    Me fez lembrar Roberto, um amigo da juventude, que se revoltou em descobrir que a música que embalava seu romance, era, depois de traduzida, um pedido: dê chance á paz, não faça guerra!

  3. Eu não consigo viver assim, achando que os passaros conspiram contra mim, eu vi aquele filme que voce toca no assunto e por 1 semana ficava com medo de tomar banho, de ir pra cama de sair na rua. 😦
    Eu me impressiono muito fácil.

    Nao aceito que tudo está escrito, pra mim, minhas escolhas definem tudo.
    Se bem…que já é a terceira vez que algo estranho me acontece.
    eu entrei no onibus, sentei na poltrona abri a janela e esqueci de tudo, me deu um apagão.
    eu dormi? cochilei??desmaiei? nao sei, tudo que sei é que eu deveria ter parado no ponto da 203 norte e fui ver eu ja estava na parada da 305 norte….eu esqueci onde eu estava 😦 que presságio foi isso??

    E hoje eu sai do trabalho com um dinheiro na mão pra comprar alguma coisa e aí eu cheguei em casa com o dinheiro na mao sem saber o que era, to ate agora com os 3,00 reais em cima da mesa tentando me lembrar 😦

    Um alerta de que você necessita ter um pedaço de papel para notar, e uma fitinha no dedo para lembrar-se do papel, um nó na fita para lembrar-se da anotação… he he he

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s