Ações da alma Humana · Geral, amplo e irrestrito · Relacionamentos, casamentos e contratos

Jesus Apócrifo e a menina jogada do prédio


Hoje, passei o dia com fortes dores de cabeça. Entretanto, conversei com um amigo (Jesus Apócrifo), sobre os eventos atuais. A conversa foi longa e falamos sobre vários assuntos; falamos desde o Dossie que é política até a menina que foi jogada do sexto andar, que ainda é mistério, e faz parte da justiça e ou de injustiça, crime hediondo)

Ele resolveu escrever um texto sobre o último assunto, e aproveito e copio e colo o texto dele aqui Ipsis litteris :

Abre Aspas:

Com esta trágica morte desta menina, nos últimos dias, a televisão, os rádios e a internet comentam o mesmo evento. Lembro-me de um texto nos apócrifos que narram uma história assim, como abaixo colado:

“Um dia, Jesus estava brincando com outras crianças em cima de um telhado e uma delas caiu e morreu na hora.As outras fugiram e Jesus ficou sozinho em cima do telhado. Então os pais do morto chegaram e disseram a Jesus:

— Foste tu que empurraste nosso filho do alto telhado.

Como ele negasse, eles repetiram mais alto:

— Nosso filho morreu e eis aqui quem o matou.

Jesus respondeu:

— Não me acuseis de um crime do qual não tendes nenhuma prova. Perguntemos, porém, à própria criança o que aconteceu.

Jesus desceu, colocou-se perto da cabeça do morto e disse-lhe em voz alta:

— Zeinon, Zeinon, quem foi que te empurrou do alto do telhado?

O morto respondeu:

— Não foste tu a causa da minha queda, mas foi o terror que me fez cair.”

Evangelho Apócrifo Segundo Pedro
A infância de Jesus


Sabemos que os envolvidos no caso atual, não tem este poder de obter o testemunho da filha, ou enteada para inocentá-los.

A situação deles, é deveras complicado. Devemos ter a paciência que outrora faltou noutros casos. Hoje, em conversa com Adão Braga, ele lembrou-me do caso de um Pastor Adventistas que ocorreu na Austràlia no inicio da década de 80.

Eu não sabia do caso, mas ele, me indicou o seguinte link: Erros dos Judiciário dos Anos 80, e ele também me indicou o filme que é o Um grito no Escuro, que procurarei ver, assim que puder.

Ainda não sabemos se o pai, e a sua atual esposa tem envolvimento, por isto, esperemos as investigações terminarem, e mesmo assim, devemos ser cautelosos, quanto aos julgamentos.

Deus abençoe os investigadores a encontrarem pistas e cheguem a conclusão correta, e então, que a justiça seja satisfeita com suas exigências, doa em quem doer.

Fecha Aspas

Ou quem sabe fiz ipsis verbis


O lançamento do Livro da Carmen Neves será neste próximo Sábado, 05/04/2008 que também é o dia do aniversário dela…


Anúncios

12 comentários em “Jesus Apócrifo e a menina jogada do prédio

  1. Ae Adão, não sei se viste outras passagens minhas pelas comunidades do orkut mas geralmente não cometo injustiças… Não até a mensagem última -, mais que um lapso perceptivo ou confusão mental, disse em nome de Deus que apagasse seu blog pois o que me veio da lida foi que vc inocentou os assassinos. Afora os “espíritos zombeteiros”, penso que o supracitado caso tenha influenciado até aqueles que eram bons, e hoje fazem errado o presente e se desdizem no futuro, até O desdizendo.
    Tomara que, se foi mm um espírito que me nublou os sentidos, que não exista ou já tenha morrido…
    Do mais, desculpas pela anterior mensagem falsária (ainda bem que não a publicou) e parabéns pelo textos…
    Denis

  2. De vez em quando vemos na mídia algum politico fazer decretos surreais – como por exemplo: invadir as casas daqueles que se negam abrir suas portas para os agentes que combatem a dengue. Surreal? Como assim? Estamos numa epidemia, as pessoas estão morrendo. Bem, é que a competencia para tratar de assuntos de propriedade não é do Estado e sim da União. Portanto, não á há legalidade para tratar da matéria por parte do Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro. Mas, a população não entende de lei e muitos fazem de conta não entender; com isso tendem a se comover ou causar uma comoção com o caos, com assuntos que se referem a familia. E, ao final, aplaudem com seus prejulgamentos.

    Cautela é a palavra chave em qq IP (Inquerito Policial). Num crime como esse, de grande comoção nacional, nossos agentes públicos e a imprensa, tendem a transformá-lo num grande espetáculo circense. O IP é uma fase investigatória, que antecede a ação penal, onde, busca-se verificar a autoria e materialidade de um fato tipico e antijuridico. O art. 20 do CPP (Codigo Processual Penal) define bem que o sigilo na fase de inquerido é deferido à autoridade policial se achar conveniente para a elucidação do fato ou interesse da sociedade. Mas, já decretaram a culpabilidade antes mesmo da sentença transitar em julgado. E que sigilo está havendo nesse caso? Hoje mesmo já divulgaram que o exame toxicológico deu negativo.

    E se forem inocentes? Podem não ser, é claro. Mas, e se forem?

    Nesse caso, a mídia esta fazendo um grande espetáculo, fazendo com que o casal seja julgado e condenado antes mesmo do IP ser concluido, antes mesmo da ação penal ser instaurada. E o pior, esquecendo de outros crimes que acontecem todos os dias nas cidades. Aconteceu, em Vitória, um crime identico. Mas, o pai já foi preso, era de classe baixa, então, não daremos tanta importância assim. Acho, que é assim que funciona em prol do manto da “informação”

    O Tribunal do Juri só julga crimes dolosos contra a vida, e nem todo crime hediondo (art. 1º, da Lei 8.078/90) e assemelhados (art. 5º, XLIII, da CRFB) são julgados pelo tribunal do juri. Vejam o exemplo de latrocinio, onde, é o roubo seguido de morte, mas o objeto principal é o patrimônio e não a vida. O Juri, é previsto na nossa Constituição e no CPP é uma garantia e direito de todo o individuo, é um instituto seríssimo, onde o povo é julgado pelo povo. Por isso, necessário, seus julgamentos serem abertos ao povo. Sete cidadãos, com os conhecimentos naturais que lhes foram dados, são os que decidem se tal cidadão merece uma nova chance.

    Bem, mais do que isso não tenho tanto dominio da matéria e nem cabe ao post. Mas, o mínimo de conhecimento que temos, nos dá vontade de rasgar o nosso CPP por tanta teatralidade nesse caso da menina Isabella. Um exemplo discutido entre amigos da faculdade: Pq não se fala, na midia, no exame que se faz abaixo das unhas, onde, pode ser detectado presença de tecido menor, principalmente quando há resistência da vitima? Pq o casal, primeiro suspeito, voltou a residencia após o crime? Pq decretar a prisão preventiva da madrasta, se é unissono que ela não estava no local do fato? Pq o MP só se mexeu após o caso ganhar grande notoriedade?

    Enfim, para mim, é melhor emburrecer, caso contrário desisto do Direito. Mas, estou muito a fim de ser parte do Ministério Público Federal, então, desistir não faz parte do meu vocabulário.

    E como bem disse o professor Delmanto: todos os dias há várias Isabellas que são jogadas pela janela. Alguém lembra do caso do bebezinho que foi estuprado no Sul e achado dentro da pia batismal? Ou dos bebês que foram esquecidos dentro de carros? Alguém ainda se lembra do João Helio? Ou alguém se lembra do menino sem nome, sem eira nem beira que foi encontrado num valão dentro da favela? Ou do menino, de 15 anos, que quase sofreu o julgamento do tráfico, quase foi morto, mas que teve sua vida poupada após a intervenção de um pastor ? ( matéria capa do Jornal O Globo no domingo passado – o jornalista acompanhou o julgamento dos traficantes. O que um jornalista estava fazendo acompanhando o julgamento do tráfico?).

    Mas, em sede de IP, CAUTELA é a palavra chave.

    Hoje, é aniversário da mãe de Isabella. Está fazendo 24 anos. E devemos orar muito, e esse é o nosso papel, para que essa mãe sobreviva a tudo isso.

    bjs a todos
    e que Deus nos proteja daqueles que sabem o que fazem.

    Ih Adão!!! Desculpa pelo tamanho do comentário tá???
    Mas, adoro absurdos !!!!

  3. Essa história aí… Não sei não. Prefiro ficar em cima do muro, só espiando. puuuutsz, tô eu comentando aqui e tu lá em casa kkkkkkkkkkkkk Abraço.

    Um amigo ontem levantou a seguinte teoria: – Quem mandou matar a menina foi a mãe biológica. Ela fez assim para prejudicar o pai e a atual esposa. Coisa de mulher que não sabe perder, e que são capazes de tudo para vingar-se de seu ex-amor. Um pouco louco, porém, uma teoria!

  4. Nossa, pasmem com o Evangelho Apócrifo Segundo Pedro. A infância de Jesus…Que lindo!

    Eu leio pouco a literatura apócrifa… mas leio-a vez ou outra… tem muitos relatos interessantes!

  5. Queria eu poder (profissionalmente) fazer o 360° deles, do pai e madrasta (como a propria disse: soa ruim essa palavra – madrasta)… Mas é um holocausto isso, tanto para a linda Isabela quanto aos pais e familia. Todos perdem! Lamentavel…

    Madrasta tá ruim porque as história da Disney e outras distribuidoras sempre sacanearam com a classe… só existem MADRASTA má nas histórias!

  6. Hoje resolvi assistir um daqueles canais de tv sensacionlistas com meu filho, ele tinha uma redação pra fazer a respeito de uma materia qualquer do jornal e escolheu justo essa, como boa mãe que sou, fui orienta-lo sobre o comportamento da imprensa, da população e a consequencia da condenação sem julgamento, todos os indicios apontam para… mas não significa que é…., ser suspeito é diferente de ser culpado, embora na imprensa brasileira eles julgam, investigam, condenam e estimulam a opinião publica a também faze-lo.
    Não acredito que exista crime sem réu, acho que existe crime mal investigado, e a policia deveria aprender a falar menos, se promover menos, foi muito inteligente o segredo de justiça neste caso, alias acho que todos os casos de crimes hediondos deveriam ser assim.
    “Todos são inocentes até que se provem ao contrario”, só aqui que se precisa provar inocencia sem ser julgado ou condenado.

    Beijos

    Eu assisto de vez em quando, afinal, preciso conhecer e saber de algumas informações atuais sobre o meio, no entanto, faz tempo que não vejo uma igreja em chamas, desde que houve aquele incendiário lá pras bandas do sul!… he he he

  7. Vim da XisTUDO direto para seu blog. O caso da menina é algo deveras complicado mas nada que as leis da f[isica e a medicina legal não consigam explicar. Mas que eles estão em maus lençóis, eles estão e vão ter que rebolar e muito para tirar o peso das costas.

    Quanto a julgar, acho complicado. Tanto que decidi nao seguir nenhuma carreira no judiciário. E jamais ficaria cara a cara com jurados a defender quem quer que seja CULPADO DE COMETER CRIMES(DEUS ME PROTEJA DE UMA HORA DESSAS). Espero apenas que amanhã não seja levada a culpa para um pobre coitado que nada tem a ver com o crime. Dias felizes

    Obrigado querida pela visita. Já estive lá também! Volto assim que puder.. deixe a situação aqui mudar!

  8. Sabe de uma coisa? Só creio na justiça de Deus mesmo. E quem sou eu para julgar alguém?
    Só quem sabe é Ele e mais ninguém… Parabéns pra Carmem e boa sorte pra ela! Bom findi! Bjo

    O problema da Justiça de Deus, é que sempre dizem: “Ela tarda, mas, não falha”, e neste mundão atual, de corre-corre, não se pode tardar nunca, pois, sempre haverá o sentimento de impunidade!

  9. A “justiça” e imprensa tem disso, as pessoas são condenadas antes de qualquer coisa e antes que o veredito seja dado, elas já são culpadas e em caso de inocência no tribunal dizem logo que a justiça não foi feita.

    Justiça, normalmente, é qualquer decisão favorável ao meu lado!

  10. Parabéns para a doce Cármen. E boa sorte nesse seu mais novo livro…repleto de emoções e sensações. Estamos precisados de poesia….

    Felicidades Cármem

  11. Mais do que erros no judiciário, a população e a imprensa devem ter cuidado em seus julgamentos. Há se de ser lembrado um caso de um colégio em SP onde os donos foram execrados pela midia e população em caso de pedofilia. E, ao final, eram inocentes. Tiveram suas vidas destruidas e ninguém chegou para eles depois e pediu desculpas.

    Cabe a policia investigar, o MP denunciar, advogados defender e o juiz julgar.

    Todos os dias, crianças são jogadas da janela (mais um caso aconteceu em Vitória), são atiradas as ruas, são vendidas em troca de comida, são largadas em latas de lixo, seviciadas pelo tráfico, são violentadas por entes de suas proprias familias, são entregues à prostituição. E no IML corpos inertes e inocentes são balançados como se fossem bonecos.

    Mas, cabe a polícia investigar.O MP denunciar. O Juiz julgar.

    O papel da população, é denunciar. E o da mídia, informar.
    Esses julgamentos pré-concebidos são perigosos e capazes de destruir uma familia inteira.

    Nós, operadores do direito, estamos acostumados com a podridão humana que vemos nos casos de familia e penal. Quem tiver oportunidade e estomago vá assistir um caso de tribunal do juri….qualquer do povo pode assistir, ou se inscrever para fazer parte de um juri, ter nas mãos a decisão de uma outra vida.

    Recentemente discutimos um caso de um pai que por não suportar o choro de seu filho, colocou-o no forno de microondas – Aconteceu no Texas. E me parece que no Brasil também aconteceu um caso semelhante. Essa semana foi a juri um cara que após anos de violência sofrido pela propria mulher (batia-o, queimava-o com ponta de cigarro, cortava-o com facas, chutava-o, humilhava-o….) e num momento de furia, de bebedeira e drogas ele jogou tiner no corpo dela e a queimou viva.

    E mais uma vez digo uma frase que escutei de minha defensora pública e orientadora no estágio: “todos somos capazes de matar. Poucos são capazes de estuprar”. E, digo mais, todos somos capazes de forjar nossas emoções sobre um tumulo. O algoz também chora.

    A sociedade está doente. Muito doente.

    E a cura qual seria?

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s