Ações da alma Humana · Opinitivo e Pessoal · Relacionamentos, casamentos e contratos

Conflitos internos


Somos, talvez por natureza belicosos. Dizem, que quando fecundamos aqueles óvulo, saimos de lá vitorioso. Mas, vencemos para vir para esta guerra que é esta existencia. Não é mole viver aqui não amigos!

Desde cedo devemos ter táticas, estratagemas, ser frios e calculistas. Não é nada fácil chegar a idade adulta no mundo atual. Há todos os dias uma batalha, uma guerra a enfrentar e ainda voltar para a guerra doméstica.

Quando casamos, começamos a guerra contra a tais dificuldades femininas de engravidar, segurar o bebe nas trompas. Vencemos duas. Vieram dois filhos. Ela gentilmente disse:

– O que achou de “Nosso” filhotão? Enorme não é?

Ai, amigo, quando chega neste ponto, o homem é pião tombado. Ele já tá envolvido no conflito. Já assumiu a patente e deve ser o general, além disso, o God War, para continuar a vencer.

Agora tenho que administrar uma  guerra interna. É muito para nós pais.

No inicio combinamos que ela seria responsável por acompanhar as crianças até a quarta série. Depois disso eu assumiria. Assim foi, até que, o mais velho optou por mudar de comando.

O filho primogenito foi perseguido na escola, apanhou, chegou em casa com o lábio inferior todo ferido.

– O que foi isso?

– Foi um menino na escola que me bateu!

– Ah! amanhã eu vou lá resolver.

E foi mesmo. No entanto, a situação continuou. A família dela, é dessas que insiste na diplomacia, mesmo tendo fracassado todos os esforço. Ai eu entrei.

De hoje em diante, você não apanha mais na escola. Vamos ás regras:

1 – Nunca provoque uma briga;

2 – Nunca entre numa briga;

3 – Nunca perca uma briga.

  • Se ele for maior e mais forte, faça alianças. É improvável voce não encontrar dois ou três que ele já tenha batido na escola. Unam-se contra ele.
  • Se ele tiver aliança com outros, isole-o do grupo.
  • Se, não for possivel, contrate serviço de alguém por voce.

– Como assim painho!

– É simples… ele é o fortão e batedor na sua escola, mas, no bairro de sua escola tem uns meninos pior do que eles. Pague-os para fazer o serviço pra você. Este apanha até hoje na escola!  Nunca teve coragem de mudar a situação dele.

No entanto, dois meses depois, recebemos um comunidado da escola de Pedro. Fui lá. E a reclamação foi:

– Pedrinho pagou dois meninos da quarta série para segurar um coleguinha da terceira série para ele bater.

– Porque você fez isso Pedrinho?

– Porque ele é mais forte, ai, contratei os mais forte que ele, e já avisei pra ele que eu não gosto de brigar!

As vezes, a força é necessária. E na maioria das vezes é díficil saber o momento de usa-la

Anúncios

9 comentários em “Conflitos internos

  1. Tenho muito cuidado quanto aos professores, alguns ensinam a bater, outros a se defender, eu quero que meus filhos tenham uma disciplina esportiva, se é na luta, que evitem adversarios mas se os tiverem que façam a coisa certa para que ninguém saia machucado. O retrato esta prontinho….
    Bjs

    Eu vi seu retrato. Não tivemos nada em comum! E nossos filhos são nossos, e temos que cuidar não é?

  2. A lição é certa.
    E não gosto de brigas, mas sempre tem aquele alguém que parece ter nascido pra brigar. Aí, da luta não me retiro. O jeito é enfrentar.

    Beijo.

    aNNinha querida… Que legal voce por aqui!
    Sempre digo que esses individuos que utilizam de violencia, é porque são incapazes de pensarem, fazerem um plano, executarem um sequencia lógica de um estratagema. Eu detesto bandido burro!

  3. Eita Adão, que show esse seu texto.
    aqui fica uma confirmação: NUNCA entro em uma briga pra perder. Mas cá entre nós, sou da paz!
    Não sou de atacar…se bem que acredito que as palavras ferem muito mais que a força propriamente dita.

    Beijos

    Fazes bem em não entrar em brigas, entretando, quando entrares, entre pra resolver a questão.

  4. adão..:)

    obrigada pelo presentinho..
    pera ai, seu conselho por filhote é pra ele brigar??

    eu ainda ano vi tudo..:(

    Iarinha meu cheiro, como diz um amigo meu, “ensinar nosso filhos apenas as boas virtudes, é deixa-los em desvantagens”, e seguindo meu amigo, farei uma citação biblica: “Mais vale um cão vivo do que um leão morto”, bem como há outra frase que ensina: “é melhor ser leão uma vez, do que carneiro a vida toda”

  5. Daozin, essas praticas sempre existiram. Quando eu cheguei no Brasil nos meus 5 anos de idade, fui estudar no Colegio Andrews em Botafogo, tudo parecia normal, ate que na 3º serie, um colega me bateu e, me descobri como pessoa naquele momento pois, parti pra cima dele e dei uma surra nele. Ele era o dobro do meu pobre e fragil corpo. Mas, nao esperava a reaçao de uma menina. Ele era o bam bam de lá e filho de gente GRANDE. Sem duvidas, ele levou uma liçao, e eu tambem, porque descobri que posso ser fraca e, encarar uma situaçao assim. Mas, isso, é deselegantissimo…chulo…E, nao agrega nada a nossa vida. Concordo com vc e Fabio.
    Bjs

    Aprendeu ele, e aprendeu voce. Não reagir em muitos casos, é o que incentiva o agressor, que deseja aliviar seus instintos dominadores.

  6. É, Adão, sou contra violência e brigas. Mas por incrível que pareça, até mesmo na idade adulta às vezes precisamos da força para nos defendermos. Ainda não tive que usar, mas foi quase.
    Eu prefiro a diplomacia também. Não ataco ninguém, mas também não quero ser atacado.

    PS: Diz pro Pedrinho encher o guri de bofetada que ele pára de incomodar.

    Abração!

    OBS:
    1 – Kaio até hoje não reagiu.
    2 – Pedro é menos vulnerável, apesar de mais novo… ele aplicou bem os conselho. Nunca mais, nenhum aluno da escola quis brigar com ele… pois, sabem que ele busca soluções

  7. Meus filhos tem uma disciplina quanto as brigas adquirada no Jiu jitsu, outro dia assistindo um treino em que um deles devia derrubar e imobilizar um adversário com o dobro do seu peso e tamanho, parei e analisei a voz de comando do professor, “Usa a força dele!! Usa peso dele!!!”
    Ele conseguiu!!
    Isso não é so no dojô, é na vida também.
    Até ia escrever sobre isso, sobre meus pensamentos naqueles instantes, mas… to censuradaaaa!!!

    Fui chamada uma vez na escola, apesar do meu filho ter quebrado o nariz de outro, não estava errado, mas o que fez não foi correto, disse isso a coordenadora, a mãe do quebrado e a ele mostrando os dois lados da situação. Ele era a vitima, alguém substimou o tamanho dele, se deu mal.
    Bullying tem sido o mal das escolas, a agressão silenciosa e os profissionais não estão se dando conta disso. So quando um aluno não aguenta mais e reage ou contrata força extra….
    Bjs

    Eu vi as fotos dos meninos… e também li seus textos… amei saber que eles são esportistas e que voce incentiva

  8. Alianças, guerra…
    Sabe que no colégio, mesmo quando os mais fortes batiam em mim, quando passei a revidar, eles pararam…

    Atitude normal de quem ataca e não recebe resistencia, é continuar

Comentar este texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s