Costumo listar entre as “coisas mais difíceis de se fazer" na vida é PEDIR. Pedir qualquer favor, por uma necessidade pessoal é uma das atividades, necessidades mais complicadas de se fazer. Invariavelmente em algum momento de sua vida, você teve que pedir algo para alguém.

Outro momento difícil de se passar, é quando você tem que por fim num relacionamento. Não é uma situação fácil. Além do seu lado pessoal em ficar constrangido(a), há por parte de muitos, a preocupação, de também não machucar, ferir a pessoa que existe do outro lado.

Infelizmente, passei por alguns destes momentos. O mais complicado foi quando tive que dizer a Zenaide (outra Zenaide, não esta deste texto). Esta era uma roxa que veio com toda disposição necessária e disse me amar.

No instante em que ela me propôs namoro, pensei que existia sentimento suficiente para iniciar e continuar, porém me enganei, e foi necessário uma quinzena para querer terminar. Então veio esta situação constrangedora. O que dizer? Como dizer? Saberia eu,  por fim no namoro, sem ferir, magoar, deixar cicatrizes?

Até hoje não sei! Mas, naquela tarde, ela saiu de casa chorando. Tal cena me partiu o coração. Mas, minha mente dizia: “tem que ser assim! amanhã poderá ser pior!”

Sempre levei em consideração o coração alheio, e sempre lutei com os pensamentos de nunca brincar com os sentimentos alheios ou alimentar um sentimento que não pudesse sustentar de forma agradável e prazerosa para mim e para ela.

Para terminar um namoro sempre me foi difícil porque, em momento algum consegui pensar apenas em mim. Sempre pensei em como a pessoa do outro lado se sentiria. Mas, alguns agem e falam como Roberto Cantava na década de 60. Por esta letra e música, imagino o sofrimento que é ouvir tais palavras:

Não fique triste não se zangue
Com tudo o que eu vou lhe falar
Sinto demais, porém agora
Tenho que lhe explicar…

Quando alguém começa tentando pedir calma em momentos como estes, é porque sabe o “tamanho do rombo” que fará no coração alheio. Os versos seguintes é que se percebe a grosseria das palavras e o porque, antes se pede para evitar a tristeza e a zanga, porém, será inevitável uma ou outra, senão as duas atitudes: tristeza e zanga.

Jamais disse tais palavras, e espero ter inteligência suficiente para jamais ferir assim, ao dizer para alguém algo do gênero, como abaixo:

Você comigo não combina
Não adianta nem tentar
Não vejo mais razão nenhuma
Para continuar…

Não quero mais seu amor
Não pense que eu sou ruim
Vou procurar outro alguém
Voceeeeeeeeeeeê!
Não serve prá mim!
Não serve prá mim!…

Como não ficar zangado ou zangada com alguém que assim nos diz? Por mais que os sentimentos tenham desaparecidos no tempo, e a paixão de outrora substituída por outros sentimentos, não adianta querer alisar depois de bater. Mas além destas acima, ainda continuando as palavras duras e difíceis de serem digeridas, ele continua agora acusando e informando o que o motivou em sua decisão:

Uma palavra de carinho
Jamais ouvi você falar
Seu beijo tão indiferente
Foi o que me fez pensar…
No tempo que eu estou perdendo
No amor que eu tenho para dar
Deve existir alguém querendo
O que você não quis ligar…

Cruel tais palavras. Ainda que ditas em momentos complicados elas ferem.

“Não quero mais seu amor. Não pense que eu sou ruim” – Como não pensar que ele seja ruim. Ainda diz: “Vou procurar outro alguém” – Vá infeliz, e que você seja feliz ou que encontre alguém que diga a você, o que você me diz agora.

Voceeeeeeeeeeeê! TAMBÉM “Não serve prá mim!…” e tenha certeza:

Pode ser que alguém
Lhe queira dar
Um grande amor
Quero que você seja feliz
Com outro alguém
Porque eeeeeeeeeeeeeu!
Não quero mais seu amor
Não pense que eu sou ruim
Vou procurar outro alguém
Voceeeeeeeeeeeeê!
Não serve prá mim!
Não serve prá mim!…

Baseado no texto da Música: Você não serve pra mim.

About these ads